Trabalho de coleta e recondicionamento de computadores agora conta com veículo

Foto: Divulgação
Um dos principais gargalos no trabalho de recondicionamento de computadores executado pela Prefeitura de Belo Horizonte está solucionado. Graças a um convênio assinado com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Prodabel, responsável pelo serviço, conta agora com um veículo para coleta domiciliar dos aparelhos eletrônicos.



Antes, as doações eram feitas apenas na unidade do bairro Ipiranga da Prodabel, o que dificultava para muitas pessoas que têm o interesse em doar mas não passam pela região. Agora, o serviço de coleta agendada já está funcionando. Para contar com o serviço é preciso entrar em contato com a Prodabel, pelo telefone 3277-6033 ou pelo e-mail [email protected] , e fazer um agendamento. Será feita uma triagem para selecionar os equipamentos que realmente podem ser recuperados.



Com isso, a expectativa dos responsáveis pelo projeto é que os números de doações e de computadores recondicionados atinjam marcas históricas: três mil doações (o triplo do número registrado em 2017) e mil equipamentos recondicionados, quase o dobro do número registrado no ano passado, quando foram distribuídos 525 computadores. Para que este objetivo seja alcançado, ainda dentro do convênio firmado, foram contratados novos monitores e o curso de Recondicionamento de Computadores, oferecido gratuitamente pela Prodabel, ampliado.Em média, a cada três computadores doados é possível fazer um novo. Depois de prontos, eles são instalados nos mais de 300 Telecentros (espaços públicos e gratuitos de inclusão digital) ou doados para instituições cadastradas. Com as máquinas, pessoas de todas as idades são inseridas no mundo da informática, seja por meio de cursos oferecidos ou até pela simples oportunidade de acessar um computador, uma vez que várias delas sequer possuem um equipamento em casa.

Descarte

É importante lembrar que o descarte de equipamentos eletrônicos exige cuidados, principalmente com o meio ambiente. Um dos principais problemas é que os materiais podem conter substâncias químicas, como chumbo, mercúrio, entre outros, que podem contaminar o solo e a água. Além disso, os equipamentos possuem diversos componentes de plástico, vidro e metais, que são de difícil decomposição. No caso da Prodabel, os materiais doados que não são aproveitados vão para um leilão, que somente empresas credenciadas e que comprovadamente possuem esta preocupação com o descarte podem participar.

*Da PBH

Por Redacao

.

Bob’s substitui canudo tradicional por versão comestível

Centerminas recebe exposição temática de brinquedos no mês das crianças