Empreendimento do programa Casa Verde e Amarela em BH tem mais de 84% das unidades comercializadas

Conforto, comodidade e custo-benefício. Esses são os pilares que motivaram o lançamento do “Parque Cerrado”, um empreendimento do programa Casa Verde e Amarela, antigo “Minha Casa Minha Vida”, em Belo Horizonte (MG). O residencial está sendo erguido pela Emccamp Residencial, no bairro Monte Azul, região Norte da capital mineira, a dez minutos da Estação São Gabriel e da avenida Brasília. Das 1.400 unidades lançadas no mercado, 1.178 já tiveram as vendas concretizadas, o que representa 84% dos apartamentos. Ao todo, o bairro planejado terá 2.280 apartamentos, distribuídos em 12 condomínios.

 

O projeto está a todo vapor. Recentemente, foi lançado o sétimo condomínio do Parque Cerrado. O Residencial Macaúbas terá 120 unidades, divididas em seis blocos, de cinco pavimentos. São apartamentos de dois quartos, de 46,01m² a 50,13m², com uma vaga de garagem cada. Para proporcionar um ambiente de lazer para os moradores, o Macaúbas terá salão de festas com forno de pizza e churrasqueira, bicicletário e playground. As unidades do residencial serão comercializadas a partir de R$157.900,00. O projeto terá subsídio de até R$ 26.365,00 do Governo Federal, financiamento em até 360 meses e as menores taxas de juros do mercado.

anúncios

 

“Os apartamentos são os maiores do programa Casa Verde e Amarela, cumprindo a NBR 9050. A norma prevê o dimensionamento necessário para pessoas com necessidades especiais, não somente os cadeirantes, mas também grávidas, obesos e idosos. Todos os nossos apartamentos foram planejados para ter acessibilidade”, conta Andre Campos, vice-presidente da Emccamp.

 

Diferenciais do Parque Cerrado

 

O projeto do Parque Cerrado segue o conceito de bairro planejado, com vias internas urbanizadas, áreas verdes preservadas e áreas de lazer. Pensando na comodidade do cliente, o Parque Cerrado contará com um centro comercial que terá espaços para a instalação de lojas como supermercado, farmácia, pet shop, padaria e outros serviços. “O conceito foi estudado durante cinco anos, em conjunto com o poder público, para entendermos as reais necessidades do futuro morador. Unificamos todas as exigências da Prefeitura: as questões de educação, saúde, meio ambiente e os projetos urbanístico e arquitetônico. Tudo isso aliado a áreas de lazer, de comércio e habitação. Conseguimos moldar todos esses pontos para chegar no produto final”, destaca Andre Campos.

 

A questão ambiental também é um ponto que merece destaque no empreendimento. As áreas verdes e as áreas com nascentes foram preservadas. Além disso, toda a supressão de árvores realizada no terreno está sendo compensada com o replantio de centenas de árvores no entorno. Todo o empreendimento será rodeado por muita natureza, terá, ainda, uma ciclovia percorrendo todo o bairro e uma praça com quadra e equipamentos de ginástica, para lazer dos moradores.

“O Bartender Brasileiro, uma visão Criativa”

Campanha em homenagem as mães do Verdemar vai até o dia 26 de maio