Uso de absorvente interno ainda causa dúvidas entre as mulheres

Ginecologista da Rede Mater Dei explica que eles são seguros, desde que usados corretamente; especialista fala sobre os principais receios, como o que fazer se a cordinha se rompe

Os absorventes internos ganham cada vez mais adeptas, mas as mulheres ainda têm dúvidas se eles são seguros para a sua saúde. De acordo com a ginecologista Anna Salvador, da Rede Mater Dei, eles não oferecem riscos, “desde que utilizados de forma correta”.

Segundo a médica, as principais dúvidas são sobre como colocar o absorvente, quando trocá-lo e o que fazer quando a cordinha se solta. “Para saber como colocar e retirar o absorvente, o ideal é que a mulher procure um ginecologista, que dará as informações necessárias e que poderá mostrar como utilizá-lo corretamente, além de indicar o tamanho ideal, decidido de acordo com o fluxo menstrual da pessoa”, explica. Sobre a troca, a médica Anna Salvador recomenda que seja feita a cada 8 horas. E o que pode acontecer se a pessoa esquecer de trocar e ficar mais horas? “O risco é que o sangue propicie o aparecimento de bactérias, causando uma infecção vaginal”, explica. “Ou até uma infecção mais grave, caso as bactérias entrem na corrente sanguínea.”

anúncios

Outra dúvida comum é sobre o que acontece quando a cordinha, que fica fora da vagina para facilitar a retirada do absorvente, se rompe, como aconteceu com Laís, participante do BBB 22, que disse aos colegas do reality show que tinha perdido seu absorvente dentro dela. “Ele não some e nem entra no abdome, pois o colo do útero impede que isso aconteça”, explica a dra. Anna Salvador. O que fazer, então? “A pessoa deve lavar bem as mãos e introduzir o dedo dentro da vagina para encontrá-lo e retirá-lo.”

Outra opção é procurar um Pronto Atendimento, onde médicos poderão retirar o absorvente com o uso de equipamentos ginecológicos. Na Rede Mater Dei, em Belo Horizonte, lembra a médica, há um pronto-socorro ginecológico, onde a mulher poderá ser atendida por especialistas.

 Rede Mater Dei de Saúde

Somos uma rede de saúde completa, com 41 anos de vida, tendo o paciente no centro de tudo e ancorada em três princípios: inteligência e humanização como pilares do atendimento; tecnologia como apoio da excelência; e solidez das governanças clínica e corporativa. Nossos serviços médico-hospitalares estão disponíveis para toda a família, em todas as fases da vida, com qualidade assistencial e profissionais altamente capacitados e especializados. Estamos em expansão, levando para mais pessoas o Jeito Mater Dei de Cuidar e de Acolher. Nossa premissa é valorizar a vida dos nossos pacientes em cada atendimento, disponibilizando o melhor que a medicina pode oferecer.

Unidades

Minas Gerais: Hospital Mater Dei Santo Agostinho, Hospital Mater Dei Contorno, Hospital Mater Dei Betim-Contagem, Hospital Santa Genoveva e CDI Imagem

Bahia: Hospital Mater Dei Salvador (inauguração em breve) e Hospital EMEC*

Goiás: Hospital Premium*

anúncios

Pará: Hospital Porto Dias

* Sujeito ao closing

Kriativar desenvolve plataforma gameficada para Ânima Educação com experiência imersiva de AR/VR

IFMG divulga resultado do vestibular dos cursos superiores com base no Enem