Transformação digital inclusiva orienta ações de capacitação nas organizações

FA.VELA é exemplo de instituição que investe no desenvolvimento das habilidades empreendedoras e de liderança da equipe para atender às novas demandas do mercado

Manter as equipes capacitadas e motivadas é um desafio enfrentado pela maior parte dos gestores. Com a pandemia e as mudanças que ela acelerou no comportamento do consumidor, o desenvolvimento de competências, habilidades e conhecimentos se tornou ainda mais necessário para as empresas fazerem frente às novas demandas do mercado.

FA.VELA, hub de educação e aprendizagem empreendedora, inovadora, digital e inclusiva de Belo Horizonte, tem investido no desenvolvimento da sua equipe. “Pensar a transformação digital inclusiva impacta na forma como encaramos todas as etapas de um novo projeto, como uma contratação, o uso do nosso espaço físico ou na manutenção institucional da organização. E isso tem guiado o nosso projeto de desenvolvimento de habilidades de liderança e empreendedoras”, destaca o diretor de novos negócios e parcerias da organização social e head da Futuros Inclusivos, João Souza.

A missão do FA.VELA é a de promover a diversidade e o desenvolvimento social, econômico e ambiental, por meio do empoderamento de grupos e territórios vulnerabilizados. As atividades foram iniciadas em 2014, no Morro do Papagaio, nome popular do Aglomerado Santa Lúcia – uma das maiores favelas de Belo Horizonte.

anúncios

O aumento do quadro de colaboradores e a mudança para uma nova sede, contribuíram para que a instituição reavaliasse a estrutura de gestão, as responsabilidades corporativas e relações com os colaboradores. “Com um canal sempre aberto ao diálogo, fazemos reuniões com lideranças de setores e checkpoints mensais com a equipe para apresentar o desenvolvimento institucional e benefícios, por exemplo. O objetivo é responder de forma rápida e eficientemente às eventuais mudanças nos processos de governança”, reforça.

liderança é essencial para que a empresa obtenha sucesso na gestão de equipes e seja referência para colaboradores, fornecedores e clientes. Ter disciplina, organização e saber resolver conflitos de maneira eficiente são algumas das qualidades de um verdadeiro líder.

Um terço dos pequenos negócios mineiros investiu em RH para enfrentar os impactos da pandemia

Estudo do Sebrae Minas mostra, ainda, que 40% destas empresas precisaram reduzir as capacitações das equipes nos últimos 18 meses. Para atender às novas demandas dos consumidores, geradas ou intensificadas pela pandemia, os pequenos negócios investiram na capacitação de suas equipes. De acordo com um levantamento realizado pelo Sebrae Minas, três em cada 10 pequenos negócios do estado realizaram algum tipo de treinamento dos empregados nos últimos 18 meses. Destes, seis em cada 10 apontaram como principal razão das capacitações a necessidade de lidar com os impactos da pandemia nos negócios. Leia mais sobre a pesquisa na Agência Sebrae Minas de Noticias.

Exposição “Vetor Vivo”, de João Diniz, no MM Gerdau segue até 16/10

Cinco atividades físicas indicadas para pessoas acima dos 60 anos