Secretaria de Estado de Cultura e Turismo lança o Ano da Mineiridade

Foto: Paulo Lacerda /FCS

 

Um sotaque único, uma cozinha apreciada e a já reconhecida hospitalidade de um povo. Essas são apenas algumas das características que fazem de Minas Gerais um território singular no país. E é para celebrar todos os elementos que compõem essa assinatura mineira que o Governo de Minas e a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) lançaram na quarta-feira (23/3), o Ano da Mineiridade.

anúncios

Iniciativa da Secult para evidenciar as tradições, os costumes e as histórias das muitas Minas Gerais, o Ano da Mineiridade será marcado por inúmeras iniciativas que celebram a diversidade da produção artística no estado, aproximando municípios e promovendo uma maior transversalidade entre os setores da cultura e do turismo e todos os profissionais envolvidos nesses segmentos.

O evento de lançamento do Ano da Mineiridade foi realizado no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, durante a segunda edição do Encontro Estadual de Gestores Municipais de Cultura e Turismo. Durante dois dias, mais de 700 gestores de diversos municípios mineiros estiveram na capital para debater, conhecer e refletir sobre as ações de fomento promovidas pela Secult para o fortalecimento dos setores no estado.

Para o governador Romeu Zema, a iniciativa de lançar um ano dedicado à mineiridade é uma grande oportunidade para resgatar o orgulho do povo mineiro e fomentar, de maneira mais concreta, as ações turísticas e culturais que possibilitem o fortalecimento da economia mineira. O turismo e a cultura fazem parte dessa nova trilha de desenvolvimento e nós temos um potencial gigantesco de tornar Minas Gerais um estado ainda mais singular do que já é”, disse.

Romeu Zema também destacou a força dos dois setores e o trabalho em conjunto com municípios que vem sendo realizado pela Secult. Segundo o governador, essas ações potencializam o sentimento de pertencimento ao estado. “Somos um povo diferenciado, e temos orgulhos disso. Somos acolhedores, nossas cidades históricas e os outros atrativos são uma força enorme para atrair mais turistas e valorizar ainda mais nossas riquezas”, destacou o governador.

Estiveram presentes na solenidade o governador Romeu Zema, o secretário de estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, a subsecretária de Turismo, Milena Pedrosa, o subsecretário de Cultura, Igor Arci, o presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, Felipe Pires, a presidente da Fundação Clóvis Salgado, Eliane Parreiras, entre outras autoridades.

O evento foi transmitido ao vivo pelo Canal de YouTube da Secult. Assista à integra AQUI.

A mineiridade como conceito
Além de celebrar as raízes do povo mineiro, o Ano da Mineiridade será trabalhado como um produto do estado. Para evidenciar o sentimento de ser mineiro, um logotipo foi apresentado ao público presente na solenidade. A marca da Mineiridade reúne elementos como força e leveza, símbolos que remetem ao artesanato, uma das linguagens artísticas mais características do estado e elementos que simbolizam uma cultura de paz.

Segundo o secretário Leônidas Oliveira, o lançamento dessa iniciativa tem por objetivo despertar o sentimento de orgulho do povo mineiro. Para o titular da Secult, o Ano da Mineiridade é uma ação que celebra todas as características de Minas Gerais e condensa em uma série de atividades, todos os elementos que compõem a rica diversidade artística, cultural e turística do estado.

anúncios

“O Ano da Mineiridade será um ano de celebramos quem somos, celebramos nossas cidades, nossos distritos, subdistritos, a nossa intensa e rica cultura alimentar, clássica e contemporânea, que este ano, inclusive, a cozinha mineira é candidata a patrimônio histórico de Minas Gerais. Celebrar a mineiridade significa, então, celebrar a nossa cultura e fomentar o turismo, visto que o maior atrativo que temos é o afeto, já que todos nós, mineiros, recebemos tão bem as pessoas, seja em nossa casa, em nossas cozinhas ou em nossas cidades”, destacou o secretário.

Edital para fomentar a cultura mineira
Entre as ações que vão celebrar o Ano da Mineiridade em 2022, está o lançamento do Edital Cemig 70 Anos. A publicação, anunciada em parceria com a Secult, vai destinar R$ 10 milhões em recursos a projetos aprovados na Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais (Leic). As inscrições são gratuitas até as 18 horas do dia 30 de junho, e os interessados devem submeter os projetos por meio da Plataforma Digital Fomento e Incentivo à Cultura.

De acordo com o diretor de Comunicação Empresarial e Sustentabilidade da Cemig, Cláudio Bianchini, o edital foi elaborado para valorizar os aspectos culturais do estado. “Essa riqueza que a gente quer incentivar, patrocinar e promover. A gente quer levar esses recursos a diversos municípios de Minas, valorizando a diversidade da cultura e democratizando o acesso aos bens culturais por meio do nosso patrocínio”, pontuou.

Podem ser inscritas iniciativas que envolvam teatro, dança, música, literatura, artes plásticas, artesanato, fotografia e preservação do patrimônio imaterial, entre outras atividades. As propostas escolhidas deverão ser executadas nos 774 municípios mineiros da área de concessão da Cemig. Os projetos escolhidos serão realizados no conjunto de atividades dos 70 anos da Companhia.

anúncios

Fonte:SECULT

Por Redacao

.

Pesquisa revela como desigualdade no acesso à internet, infraestrutura e educação pode comprometer o futuro do país

Exportações de jogos desenvolvidos no Brasil cresceram 600% em 2021