Imobiliárias oferecem mais agilidade e novas garantias que simplificam contratos de aluguel

Novas opções ajudam empresas e proprietários a driblar a inadimplência e proporcionam mais segurança aos negócios

Para tornar mais acessível e ágil o processo de locação, novas modalidades de garantias têm surgido no mercado. Além disso, com a tecnologia como aliada, é possível não só pesquisar e indicar os imóveis que interessam ao locatário, como enviar toda a documentação pelos canais digitais da imobiliária. Apostando na simplificação, otimização e praticidade, as empresas do setor estão investindo em novos recursos, oferecendo alternativas às tradicionais garantias de aluguel, com menos burocracia e taxas mais atraentes, para inquilinos e proprietários.

A utilização do cartão de crédito é uma dessas opções. Nessa modalidade, o limite do cartão é utilizado como garantia, sem a necessidade de indicar um fiador. A Sancruza Imóveis, sediada em Contagem, oferece essa possibilidade aos clientes em parceria com a Credpago.  Por meio desse processo, que é mais rápido e menos burocrático, o cliente pode ser aprovado em até 15 minutos e fica dispensado de enviar muitas documentações como as garantias tradicionais, explica Simone Pinheiro Lima, superintendente da Sancruza.

De acordo com o diretor de Locação da Netimóveis BH, Achilles Ribeiro Seabra Eiras, as modalidades de garantias mais utilizadas atualmente são a fiança e o seguro-fiança. Segundo ele, “o seguro-fiança tem conquistado uma boa fatia do mercado, principalmente em função da celeridade no pagamento ao locador em casos de inadimplência do locatário”.

anúncios

Eiras afirma que a tendência é de que as opções relativas às garantias sejam simplificadas e se  tornem menos onerosas. “As perspectivas são as melhores e já é visível um cenário de mais praticidade e redução de custos para todas as partes. Sem dúvidas, é uma nova era para os negócios imobiliários em geral.”

 

Segurança jurídica das garantias locatícias

As garantias locatícias estão previstas na legislação brasileira e na Lei do Inquilinato, que rege os contratos de locação e determina modalidades que vão desde o título de capitalização até a fiança. “Essas possibilidades conferem mais agilidade ao processo e trazem um grande potencial para gerar negócios imobiliários, com opções que dispensam a busca por um fiador”, avalia o especialista em direito imobiliário e diretor jurídico da Netimóveis, Fernando Júnior.

Porém, apesar das novas tendências, a modalidade ainda desponta como uma figura importante nos processos de locação, já que não tem custos adicionais para o locador. Em estudo recente realizado pela CBCSI (Câmara Brasileira de Comércio e Serviços Imobiliários), com base em 20 mil contratos de locação comercial, comprovou-se que 78% deles têm os fiadores como modalidade escolhida. “É uma garantia que o cliente consegue com um amigo ou parente e não tem custo para ele. Em algumas regiões, ela chega a representar 46% das negociações”, afirma Cássia Ximenes, presidente da CMI/Secovi-MG.

Para o advogado e consultor da Alexandre Fadel, não há um tipo de garantia ideal, já que cada locatário tem um perfil e precisa ser analisado individualmente. “Cada tipo de garantia tem seus limites e faz parte do dia a dia das imobiliárias acompanhar todo o processo da locação. No caso do fiador, por exemplo, é sempre bom manter um relacionamento, mesmo depois do fechamento do contrato”, afirma.

Evolução do Open Banking deve beneficiar setor de fomento mercantil

Cemig apoia a vacinação da população de Sarzedo, com equipamentos para a área de saúde