História, cultura e trajetória museológica da Pampulia são o tema editorial do Museu do Território da Pampulha

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e o Instituto Periférico lançam a publicação “Pampulha: tempo, história e museus”, atividade do Pampulha Território Museus. A publicação nasce da investigação da vocação cultural e museológica do Território Pampulha, a partir das confluências e divergências com as camadas que o compõem, sejam elas geográficas, históricas, patrimoniais ou sociais. O material percorre um caminho cronológico que se inicia na Pampulha rural e vai até a sua consolidação como território museológico. A publicação é de livre acesso e o download pode ser feito AQUI.

 

“Pampulha: tempo, história e museus” revela aspectos fundamentais da trajetória da Pampulha para consolidar-se como território museológico. O material abre caminho para a reflexão acerca dos desafios contemporâneos e futuros do Museu de Arte da Pampulha, Museu Casa Kubistchek e Casa do Baile – Centro de Referência de Arquitetura, Urbanismo e Design na construção de suas relações com a cidade.

anúncios

 

A publicação foi desenvolvida pela Peixe Vivo Histórias – Memória e Patrimônio e o projeto gráfico é de Phill Albuquerque e Mirela Persichini.

 

CONHEÇA OS AUTORES

O Peixe Vivo – Histórias – Memória e Patrimônio é um escritório especializado na coordenação e realização de estudos técnicos para projetos culturais envolvendo o Patrimônio Cultural, Museus, Arquivos e Educação Patrimonial. Dirigida pelos historiadores Raul Lanari e Hugo Rocha, a empresa busca valorizar as diversas manifestações da cultura brasileira e contribuir para as políticas públicas de salvaguarda do patrimônio cultural brasileiro.

 

O Pampulha Território Museus é uma realização da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, em parceria com o Instituto Periférico.

 

SOBRE O PAMPULHA TERRITÓRIO MUSEUS

anúncios

O Museu de Arte da Pampulha – MAP e a Casa do Baile são reconhecidos pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade, e o Museu Casa Kubitschek é um importante ícone da arquitetura residencial modernista. Os três são unidades museais presentes na paisagem cultural do Conjunto Moderno da Pampulha. Ao reconhecer sua importância e representatividade para Belo Horizonte, o “Pampulha Território Museus”, lançado em dezembro de 2020, busca promover cada um desses espaços, valorizando suas vocações museológicas e sua relação com a cidade. Por meio da parceria entre a Fundação Municipal de Cultura e a OSC Instituto Periférico, selecionada por meio de edital, os museus recebem uma programação cultural inovadora, com exposições, atividades culturais e educativas, estimulando a participação ativa dos cidadãos. Até dezembro de 2021, a iniciativa realizará 3 exposições, 20 atividades culturais, 48 atividades educativas, 10 projetos de design e 3 publicações.

Por Redacao

.

Extra e Pão de Açúcar esperam aumento de 30% nas vendas de carne suína em semana nacional

Festival Gourmet Serra Rio do Peixe fomenta o turismo em Pequi