Grupo Galpão está de volta aos palcos e celebra 40 anos em 2022

Programação comemorativa inclui espetáculos como Till, Nós e De Tempos Somos, cinema, lançamentos e turnês

Manter acentuada a chama do teatro popular, de rua, e, ao mesmo tempo, ser capaz de passear por diferentes estilos e formas de pensar e atuar. Em quatro décadas de atividades ininterruptas, tais foram os ofícios poeticamente cumpridos pelo Grupo Galpão, que, uma vez mais, agora de volta à vida presencial, promete ao público uma série de emoções e viagens no tempo. Em comemoração a seus 40 anos de arte, o Grupo preparou programação especial, para marcar sua volta aos palcos e às ruas, com espetáculos, sessões de cinema e turnês pelo interior de Minas Gerais e por cidades como Rio de Janeiro e São Paulo.

Criado por cinco atores em 1982 a partir do espetáculo “A alma boa de Setsuan”, montagem conduzida por diretores do “Teatro Livre de Munique” da Alemanha, após algumas oficinas realizadas em Belo Horizonte, o Galpão se valeu dessa rica experiência para se lançar numa proposta de construção de um teatro de grupo, de pesquisa e com raízes profundamente populares. Hoje, com 12 integrantes no elenco, o Grupo é formado por Antonio EdsonArildo de BarrosBeto FrancoChico PelúcioEduardo MoreiraFernanda ViannaInês PeixotoJúlio MacielLydia Del PicchiaPaulo AndréSimone Ordones e Teuda Bara. Para celebrar seus 40 anos, o Grupo realizou uma série inédita de videorretratos, na qual os atores e atrizes do grupo encarnam personagens imaginários em uma vertiginosa festa de aniversário. A série comemorativa foi dirigida pelos artistas Filipe Lampejo e Vinícius de Souza e, antes de chegar às plataformas digitais estreia em breve no cinema.

anúncios

A Temporada dos 40 anos do Grupo Galpão conta com o patrocínio máster do Instituto Cultural Vale, patrocínio da Cemig, apoio do Banco BV e AngloGold Ashanti por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Para dar início às celebrações em Belo Horizonte (MG), o Grupo revisita uma de suas principais montagens de rua, que dessa vez ganha os palcos, o espetáculo “Till, a saga de um herói torto”, com texto de Luis Alberto de Abreu e direção de Júlio Maciel. No elenco, Antonio Edson, Arildo de Barros, Beto Franco, o ator convidado Eliseu Custódio, Eduardo Moreira, Inês Peixoto, Lydia Del Picchia, Simone Ordones e Teuda Bara. As apresentações serão nos dias 24 de junho (21h), 25 de junho (18h e 21h), e 26 de junho (19h), no Teatro do Centro Cultural Unimed-BH Minas. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro ou no site www.eventim.com.br,  R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Para o ator Eduardo Moreira, diretor artístico e um dos fundadores do Grupo, em 1982, “a nova versão ressignifica os cenários e os figurinos, numa nova leitura da peça que busca uma maior agilidade e versatilidade, especialmente na relação direta com o público. Num momento em que é urgente que a arte e o teatro reencontrem o público, o Galpão mergulha numa de suas obras mais populares, trazendo uma reatualização do sentido da saga de Till Eulenspiegel, um anti-herói que desmascara e revela a violência dos poderosos e a exploração dos desvalidos e miseráveis. Resgatar a montagem de Till para o nosso repertório nesse momento faz todo o sentido, especialmente sob a perspectiva da celebração do encontro com o público amplo e diversificado, tanto no palco como na rua”, ressalta.

Outro espetáculo que o público poderá matar a saudade é Nós, de 2016, com direção de Marcio Abreu. No palco, Antonio Edson, Beto Franco, Eduardo Moreira, Júlio Maciel, Lydia Del Picchia, Paulo André e Teuda Bara celebram a vida enquanto preparam a última sopa e debatem, sob um prisma político, questões do mundo contemporâneo – a intolerância, a violência, a diversidade, a convivência com a diferença. As apresentações serão nos dias 30 de junho, 1º e 2 de julho, às 21h, e no dia 3 de julho, às 19h, no Teatro do Centro Cultural Unimed-BH Minas. Os ingressos estão à venda no site www.eventim.com.br,  R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

anúncios

 

NÓS somos nós, esse coletivo de 40 anos de existência e nós, seres humanos e artistas de teatro para lá dos cinquenta, com suas perplexidades, questões, angústias, algumas esperanças e muitos nós”, explica Eduardo Moreira. “Remontar essa peça nos 40 anos do Galpão nos pareceu algo inevitável, já que ela é política e debate a convivência, mas também por ela aproximar ator e personagem e, dessa maneira poética, acabar falando muito do que é ser um grupo de teatro”, completa o ator.

De acordo com as orientações da Prefeitura de Belo Horizonte para a prevenção da covid-19 em ambientes fechados (Portaria nº 375/2022, publicada no dia 14 de junho de 2022), o uso de máscara é obrigatório.

anúncios

O GRUPO E O CINEMA

Para comemorar seus 40 anos, o Galpão realizou uma série de 13 videorretratos, uma linguagem inédita no repertório da companhia. São retratos em movimento de cada ator e atriz do grupo, produzidos em estúdio, misturando fotografia, cinema e teatro. A série tem como pano de fundo uma vertiginosa festa de aniversário por onde circulam personagens imaginários, inspirados em vários tipos que já estiveram nas plateias e nos palcos do Galpão. O trabalho, dirigido por Filipe Lampejo e Vinícius de Souza, ocupará as redes sociais do grupo, mas antes estreia no cinema.

Sessões de cinema

Além dos espetáculos “Till, a saga de um herói torto” e “Nós”, a programação do Galpão no Centro Cultural Unimed-BH Minas abrange sessões de cinema com produções audiovisuais do Grupo, como “Partida de vôlei à sombra do vulcão”, dramaturgia de Silvia Gomez e direção de Clarissa Campolina e Fernanda Vianna; “Fogo Fátuo”, direção de Eduardo Moreira e Luiz Felipe Fernandes; “A gente pode tudo pelo menos por enquanto”, direção Luiz Felipe Fernandes; e do documentário Moscou, com direção de Eduardo Coutinho, nos dias 1º e 2 de julho, às 20h10, no Cinema do Centro Cultural Unimed-BH Minas. A entrada é gratuita e as senhas devem ser retiradas 30 minutos antes do início da sessão, na bilheteria do cinema.

Também no dia 2 de julho, às 10h, o Grupo Galpão realiza uma ação educativa, por meio da exibição do filme “A Primeira perda da minha Vida”, seguido de bate-papo de 40 minutos com integrantes do Galpão. Com roteiro de Eduardo Moreira e direção de Inês Peixoto, a peça-filme realiza um mergulho poético no mundo do cinema e do teatro, por meio das cartas de uma boneca perdida. As filmagens feitas no teatro do Galpão Cine Horto fundem as duas linguagens, num exercício de profunda fantasia e imaginação.

LANÇAMENTO LIVRO “GRUPO GALPÃO – “TEMPOS DE VIVER E CONTAR”

 

Com textos do ator Eduardo Moreira e ensaio do crítico Valmir Santos, “Grupo Galpão: tempos de viver e de contar” revela histórias e bastidores do Grupo, além de imagens de uma rica iconografia de espetáculos. Lançado em 2021, pela Edições Sesc SP, o livro terá lançamento presencial em Belo Horizonte, com a presença dos atores e atrizes, no dia 7 de julho, das 19h às 21h, no Café do Centro Cultural Unimed-BH Minas. O valor do livro é R$ 88.

 

ESPETÁCULOS DE RUA E TURNÊS

 

No segundo semestre de 2022, o Grupo Galpão ganha as ruas e praças com “De Tempos Somos – um sarau do Grupo Galpão”, de 2014Apresentado como um sarau de músicas e poesias, com direção das atrizes Lydia Del Picchia e Simone Ordones, o espetáculo reúne 25 canções do repertório do Grupo, além de apresentar textos sobre a passagem do tempo e o processo de criação artística.

“De Tempo Somos é um espetáculo que nos desafia enquanto atores e nos  proporciona uma relação muito direta com o público: uma abordagem diferente dos textos e, principalmente, das músicas, que já fazem parte do imaginário das pessoas que acompanham o Galpão nesses 40 anos – não é por acaso que algumas das canções são dedicadas a elas. Como é bom poder retornar a esse espetáculo, ter a plateia cantando conosco, e perceber que a história do Grupo se renova e se fortalece”, destaca Lydia Del Picchia, uma das diretoras do espetáculo.

Estão previstas apresentações em várias regionais de Belo Horizonte e uma turnê pela região da Serra da Canastra.

Entre os meses de setembro, outubro e novembro será a vez do Rio de Janeiro e de São Paulo receberem a Temporada 40 anos do Grupo Galpão com os espetáculos “De Tempos Somos”, “Till” e Nós”.

 

NOVA MONTAGEM PARA 2023

 

Além de comemorar seus 40 anos, em 2022, o Galpão começa o processo de criação de sua 26ª montagem. O Grupo, que já começou o processo de pesquisa, vai apresentar os primeiros resultados para o público em workshops e em ensaios abertos. O foco do trabalho tem sido a linguagem musical da obra de Brecht, com destaque para o cabaré.

SOBRE O GRUPO GALPÃO

 

Criado em 1982, o Grupo Galpão tem sua origem ligada à tradição do teatro popular e de rua. Há 40 anos desenvolve um teatro que alia rigor, pesquisa e busca de linguagem, com montagem de peças que possuem grande poder de comunicação com o público. Formado por atores que trabalham e trabalharam com diferentes diretores convidados – como Gabriel Villela, Cacá Carvalho, Paulo José, Yara de Novaes e Marcio Abreu (além dos próprios integrantes que também já dirigiram espetáculos do Grupo) – o Galpão formou sua linguagem artística a partir desses encontros diversos, criando um teatro que dialoga com o popular e o erudito, a tradição e a contemporaneidade, o teatro de rua e o palco, o universal e o regional brasileiro.

 

AGENDA JUNHO E JULHO

 

Serviço:

 

ESPETÁCULOS 

 

“Till, a saga de um herói torto”

Direção: Júlio Maciel

Estreia: 2009

Duração: 90 minutos | Gênero: tragicomédia | Classificação: livre

24/06, às 21h

25/06, às 18h e às 21h,

26/06, às 19h

Teatro do Centro Cultural Unimed-BH Minas

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia), na bilheteria do teatro ou pelo site: www.eventim.com.br

 

Sinopse:

Um dia, na eternidade, o Demônio aposta com Deus que se tirasse do homem algumas qualidades, ele cairia em perdição.  Deus, aceitando o desafio, resolve trazer ao mundo a alma de Till. Vivendo em uma Alemanha miserável, povoada de personagens grotescos e espertalhões, logo de início nosso protagonista é abandonado em meio ao frio e a fome e descobre que a única maneira de sobreviver naquele lugar é se tornar ainda mais esperto e enganador. Assim começa sua saga cheia de presepadas e velhacarias.

Till é o típico anti-herói cheio de artimanhas e dotado de um irresistível charme. Um personagem encontrado em várias culturas, que se assemelha muito ao nosso Macunaíma ou Pedro Malasartes.

Além de Till e uma infinidade de rústicos personagens medievais, a peça conta também a história de três cegos andarilhos que buscam a salvação sonhando alcançar as torres de Jerusalém.

FICHA TÉCNICA

TILL, A SAGA DE UM HERÓI TORTO

Direção: Júlio Maciel

Texto: Luís Alberto de Abreu

ELENCO PERSONAGENS

Antonio Edson (Borromeu / Povo / Anão)

Beto Franco (Parteira / Português / Padre / Camponês / Miserável)

Eliseu Custódio (Demônio / Parteira / Camponês / Voz do Soldado)

Eduardo Moreira (Doroteu / Juiz / Povo)

Inês Peixoto (Till)

Lydia Del Picchia (Parteira / Consciência / Cozinheira / Menino / Camponesa)

Simone Ordones (Alceu / Povo)

Teuda Bara (Mãe / Miserável)

EQUIPE TÉCNICA

 

Direção: Júlio Maciel

Texto: Luís Alberto de Abreu

Cenografia e Figurino: Márcio Medina

Direção musical – arranjos, adaptações e composições: Ernani Maletta

Preparação corporal para cena: Joaquim Elias

Iluminação Original: Alexandre Galvão, Wladimir Medeiros

Adaptação projeto Iluminação: Rodrigo Marçal

Adaptação projeto cenográfico: Taísa Campos

Caracterização: Mona Magalhães

Adereços: Luiza Horta, Marney Heitmann, Raimundo Bento

Manutenção dos adereços: Marney Heitmann

Assistente de figurino: Paulo André

Preparação vocal: Babaya

Técnica de Pilates: Waneska Carvalho

Assistentes de cenotecnia: Israel Silva e Gustavo Campos Ed

Montagem e operação de luz: Rodrigo Marçal

Montagem e operação de som: Fábio Santos

Montagem de cenário: Israel Silva

Assistente técnico e contrarregra: William Teles

Costureiras: Taires Scatolin, Idaléia Dias

Comunicação: Fernando Dornas, Letícia Leiva e Matheus Carvalho

Assessoria de Imprensa: Polliane Eliziário (Personal Press)

Identidade visual: Filipe Lampejo e Vinícius de Souza

Design gráfico: Filipe Lampejo e Rita Davis

Fotos: Humberto Araujo

Produção executiva: Beatriz Radicchi

Direção de produção: Gilma Oliveira

Produção: Grupo Galpão

NÓS

 

Direção: Marcio Abreu
Estreia: 2016

Classificação indicativa: 16 anos | Duração: 90 minutos | Gênero: teatro contemporâneo

30/06, 01/07 e 02/07, às 21h

03/07, às 19h

Teatro do Centro Cultural Unimed-BH Minas

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia), na bilheteria do teatro ou pelo site: www.eventim.com.br

Sinopse:

Enquanto preparam a última sopa, sete pessoas partilham angústias, algumas esperanças e muitos nós. A 23º montagem do Grupo Galpão debate questões atuais, como violência e intolerância, a partir de uma dimensão política. No espetáculo, a plateia é convidada a presenciar situações de opressão e de convívio com a diferença, provocadas pelas relações de proximidade entre artista e espectador, ator e personagem, cena e plateia, público e privado, realidade e ficção. O espetáculo foi gerado a partir de um mergulho radical na experiência do grupo.

FICHA TÉCNICA

ELENCO
Antonio Edson, Beto Franco, Eduardo Moreira, Júlio Maciel, Lydia Del Picchia, Paulo André e Teuda Bara

EQUIPE DO ESPETÁCULO

Direção: Marcio Abreu

Dramaturgia: Marcio Abreu e Eduardo Moreira

Cenografia: Play Arquitetura – Marcelo Alvarenga

Figurino: Paulo André

Iluminação: Nadja Naira

Trilha e Efeitos Sonoros: Felipe Storino

Assistência de Direção: Martim Dinis e Simone Ordones

Preparação musical e arranjos vocais/instrumentais: Ernani Maletta

Preparação vocal e direção de texto: Babaya

Colaboração artística: Nadja Naira e João Santos

Assistência de Figurino: Gilma Oliveira

Assistência de Cenografia: Thays Canuto

Cenotécnica e construção de objetos: Joaquim Pereira e Helvécio Izabel

Operação e assistência de luz: Rodrigo Marçal

Operação de som: Fábio Santos

Assistente técnico: William Teles

Assistente de produção: Cleo Magalhães

Confecção de figurino: Brenda Vaz

Técnica de Pilates: Waneska Torres

Comunicação: Fernando Dornas, Letícia Leiva e Matheus Carvalho

Assessoria de Imprensa: Polliane Eliziário (Personal Press)

Identidade visual: Filipe Lampejo e Vinícius de Souza

Design gráfico: Filipe Lampejo e Rita Davis

Fotos de divulgação: Guto Muniz

Imagens escaneadas: Tibério França e Lápis Raro

Registro e cobertura audiovisual: Alicate Conteúdo Audiovisual

Direção de produção: Gilma Oliveira

Produção executiva: Beatriz Radicchi

Produção: Grupo Galpão

SESSÕES DE CINEMA

Dia 1º de julho 2022 (sexta-feira), às 20h10

PARTIDA DE VÔLEI À SOMBRA DO VULCÃO seguido de MOSCOU

PARTIDA DE VÔLEI À SOMBRA DO VULCÃO

Curta-metragem

Direção: Clarissa Campolina e Fernanda Vianna

Estreia: 2021 | Classificação indicativa: 12 anos | Duração: 39 minutos | Brasil

Sinopse: Hipnotizada pela imagem de um vulcão ativo do outro lado do mundo, uma mulher parte ao encontro de sua fúria. No caminho, sem conseguir voltar, ela se descobre em uma gravidez extraordinária, começando o relato da viagem que dá forma a esta peça-filme, jornada entre o teatro e o cinema inspirada nas narrativas do realismo fantástico.

Local: Cinema do Centro Cultural Unimed-BH Minas

Endereço: Rua da Bahia, 2244 – Lourdes, Belo Horizonte – MG

Gratuito. Sujeito à lotação. As senhas serão distribuídas XXh antes do início da sessão.

MOSCOU

Documentário

Direção: Eduardo Coutinho

Estreia: 2009 | Classificação indicativa: Livre | Duração: 77 minutos | Brasil

Sinopse: Em Belo Horizonte o Grupo Galpão aceitou o desafio de montar, ao longo de três semanas de ensaios, a peça teatral “As Três Irmãs”, de Tchekhov. Com um detalhe: a peça jamais será apresentada ao público. O documentário registra os ensaios e os exercícios cênicos realizados pela trupe, questionando as fronteiras e os limites entre realidade e ficção. Gentilmente cedido para exibição pela Videofilmes.

Local: Cinema do Centro Cultural Unimed-BH Minas

Endereço: Rua da Bahia, 2244 – Lourdes, Belo Horizonte – MG

Gratuito. Sujeito à lotação. As senhas serão distribuídas 30 minutos antes do início da sessão.

Dia 2 de julho (sábado), às 20h10

FOGO FÁTUO seguido do A GENTE PODE TUDO PELO MENOS POR ENQUANTO

FOGO FÁTUO

Documentário

Direção: Eduardo Moreira e Luiz Felipe Fernandes

Estreia: 2021 | Classificação indicativa: livre | Duração: 50 minutos | Brasil

Sinopse: O filme, dirigido por Eduardo Moreira e Luiz Felipe Fernandes, retrata particularidades do processo de criação desenvolvido pelo Grupo Galpão ao longo de quase 40 anos de existência da companhia mineira.

Local: Cinema do Centro Cultural Unimed-BH Minas

Endereço: Rua da Bahia, 2244 – Lourdes, Belo Horizonte – MG

Gratuito. Sujeito à lotação. As senhas serão distribuídas 30 minutos antes do início da sessão.

A GENTE PODE TUDO PELO MENOS POR ENQUANTO

Webdocumentário

Direção: Luiz Felipe Fernandes | Estreia: 2020| Classificação indicativa: 12 anos | Duração: 112 minutos | Brasil

Sinopse: Em 6 capítulos, mostra, de forma não linear, o processo de criação da peça OUTROS (2018), parceria com o encenador Marcio Abreu.

Local: Cinema do Centro Cultural Unimed-BH Minas

Endereço: Rua da Bahia, 2244 – Lourdes, Belo Horizonte – MG

Gratuito. Sujeito à lotação. As senhas serão distribuídas 30 minutos antes do início da sessão.

AÇÃO BIBLIOTECA

Data: 2 de julho (sábado)

Horário: 10h

A PRIMEIRA PERDA DA MINHA VIDA

Direção: Inês Peixoto Estreia: 2021 | Classificação indicativa: livre | Duração: 25 minutos I Brasil

Sinopse: Ao se deparar com uma menina chorando, Kafka descobre que ela perdeu sua boneca. Ele resolve consolá-la, inventando a história de que a boneca saiu para viajar e que ele seria o portador das cartas contando suas aventuras. Embora não se saiba se essa história de fato aconteceu, ela é um extraordinário exemplo da capacidade que a ficção e a empatia humana têm de curar feridas. A primeira perda da minha vida realiza um mergulho poético no mundo do cinema e do teatro, por meio das cartas de uma boneca perdida. As filmagens feitas no teatro do Galpão Cine Horto fundem as duas linguagens, num exercício de profunda fantasia e imaginação.

Local: Cinema do Centro Cultural Unimed-BH Minas

Endereço: Rua da Bahia, 2244 – Lourdes, Belo Horizonte – MG

Acesso Gratuito – Limitado à lotação (40 lugares). Retirada de senha 30 minutos antes do início da  sessão.

LANÇAMENTO LIVRO “GRUPO GALPÃO – TEMPOS DE VIVER E DE CONTAR”

Edições Sesc SP

Organização Eduardo Moreira

351 páginas

R$ 88

Presença dos atores do Grupo.

Data: 7 de julho (quinta-feira, das 19h às 21h)

Local: Café do Centro Cultural Unimed-BH Minas

Endereço: Rua da Bahia, 2244 – Lourdes, Belo Horizonte – MG

Gratuito – Limitado à lotação da casa

Classificação livre

GRUPO GALPÃO

 

ATORES

Antonio Edson – Arildo de Barros – Beto Franco – Chico Pelúcio – Eduardo Moreira – Fernanda Vianna – Inês Peixoto – Júlio Maciel – Lydia Del Picchia – Paulo André – Simone Ordones – Teuda Bara

Lei Federal de Incentivo à Cultura | Patrocínio máster: Instituto Cultural Vale | Patrocínio: Cemig | Apoio: banco BV, AngloGold Ashanti | Realização: Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal, Pátria Amada Brasil.

Por Redacao

.

A vez das crianças competirem Mountain Bike

Belo Horizonte é a primeira cidade a receber Circuito Meta do CineSolar, cinema movido a energia solar com sessões gratuitas