Filarmônica de Minas Gerais encerra a edição 2018 dos Concertos para a Juventude

Foto: Alexandre Rezende/ Divulgação

No dia 25 de novembro, na Sala Minas Gerais, às 11h, a Filarmônica de Minas Gerais encerra a edição 2018 dos Concertos para a Juventude e apresenta “Uma festa para toda a família Filarmônica”.

No encerramento do ano, a Orquestra inteira volta a ocupar o palco, já que, ao longo da temporada, as famílias da Orquestra, separadamente, ganharam destaque em cada apresentação. No programa, Pompa e Circunstância, op. 39: Marcha Militar nº 1 em Ré maior, de Elgar; Pizzicato Polka, de J. Strauss Jr.; Carmem: Prelúdio, de Bizet; Dança Eslava, op. 46, nº 8, de Dvorák; O Guarani: Protofonia, de Gomes; O Danúbio Azul, op. 314, de J. Strauss Jr.; Cavaleria Rusticana: Intermezzo, de Mascagni; Guilherme Tell: Abertura, de Rossini.

+Diogo Nogueira se apresenta em Belo Horizonte

+Catas Altas se destaca como polo de resgate das tradições gastronômicas de Minas Gerais

A regência é do maestro Marcos Arakaki. A entrada para os Concertos para a Juventude é gratuita, e os ingressos começam a ser distribuídos no dia 20 de novembro ao meio-dia, na bilheteria da Sala Minas Gerais.

anúncios

Os Concertos para a Juventude destinam-se à formação de público e recuperam a tradição de concertos sinfônicos nas manhãs de domingo.

Maestro Marcos Arakaki

Regente Associado da Filarmônica, Marcos Arakaki colabora com a Orquestra desde 2011. Sua trajetória artística é marcada por prêmios como o primeiro lugar no Concurso Nacional Eleazar de Carvalho para Jovens Regentes (2001) e no Prêmio Camargo Guarnieri (2009). Foi semifinalista no Concurso Internacional Eduardo Mata (2007).



O maestro foi regente assistente da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), bem como titular da OSB Jovem e da Sinfônica da Paraíba. Dirigiu as sinfônicas do Estado de São Paulo (Osesp), do Teatro Nacional Claudio Santoro, do Paraná, de Campinas, do Espírito Santo, da Paraíba, da Universidade de São Paulo, Filarmônica de Goiás, Petrobras Sinfônica e Orquestra Experimental de Repertório. No exterior, regeu as filarmônicas de Buenos Aires e da Universidade Autônoma do México, Sinfônica de Xalapa, Kharkiv Philharmonic da Ucrânia e Boshlav Martinu Philharmonic da República Tcheca.



Arakaki tem acompanhado importantes artistas do cenário erudito, como Pinchas Zukerman, Gabriela Montero, Sergio Tiempo, Anna Vinnitskaya, Sofya Gulyak, Ricardo Castro, Rachel Barton Pine, Chloë Hanslip, Luíz Filíp, Günter Klauss, Eddie Daniels, David Gerrier e Yamandu Costa.

Natural de São Paulo, é Bacharel em Música pela Universidade Estadual Paulista, na classe de Violino de Ayrton Pinto, e Mestre em Regência Orquestral pela Universidade de Massachusetts. Participou do Aspen Music Festival and School, recebendo orientações de David Zinman na American Academy of Conducting at Aspen. Esteve em masterclasses com Kurt Masur, Charles Dutoit e Neville Marriner.

anúncios

Seu trabalho contribui para a formação de novas plateias, em apresentações didáticas, bem como para a difusão da música de concerto em turnês a mais de setenta cidades brasileiras. Atua como coordenador pedagógico, professor e palestrante em projetos culturais, instituições musicais e universidades.



Por Redacao

.

Black Friday ou Black “Fraude”? 4 dicas para comprar bem na data

Evento gratuito de contação de histórias no Sion marca a última edição do programa “Histórias na Praça” deste ano