Ex-alunos do Colégio Santo Agostinho-Contagem são destaques do curso de engenharia da UFMG

A dupla foi condecorada pela instituição durante a cerimônia de colação de grau

 

 

anúncios

A escola é o lugar onde passamos boa parte da infância e da adolescência. É nesse ambiente que fazemos importantes descobertas, aprendemos, conquistamos amigos, nos preparamos para a faculdade e para a vida adulta. Por esse motivo, é imprescindível entender a instituição de ensino como um ponto de apoio para o crescimento humano. Um exemplo perfeito disso é a dupla João Victor Menezes Cunha (23) e Francisco Militão de Souza Silva (23).  Eles concluíram o ensino médio na unidade do Colégio Santo AgostinhoContagem, e, agora, se tornaram destaque no curso de graduação em Engenharia de Minas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Os ex-alunos e agora, recém bacharéis em engenharia foram agraciados pela Escola de Engenharia, com as medalhas,  “Álvaro da Silveira” e “Iphygênio Coelho”. As comendas, nas modalidades de Ouro e Prata, respectivamente, foram concedidas durante a cerimônia de colação de grau, onde a Escola de Engenharia homenageia os alunos formandos que mais se destacaram em seus cursos de graduação.

“O Colégio Santo Agostinho teve um papel fundamental na minha formação profissional e, principalmente, na pessoal. Além da excelência em educação, os valores transmitidos pela instituição ajudam a construir pessoas melhores e foi acreditando nesses valores que cheguei até aqui. Agradeço muito ao colégio e aos professores, em especial ao professor Márcio Rocha que foi quem inspirou a mim e ao meu amigo Francisco a seguir a carreira de engenheiros de minas”, destaca João Victor Menezes.  Ele frisa que “o Colégio Santo Agostinho me formou e a universidade expandiu meus horizontes. Fico muito honrado com a medalha e ainda mais certo de que a educação transforma a vida e as pessoas”, comemora.

Já Francisco Militão, acredita que o título de destaque em um curso de graduação contribui para a abertura de portas na carreira. “É motivo de alegria e reconhecimento de tudo que foi feito até aqui. Desde os tempos do Colégio Santo Agostinho. Sem dúvida que um título como este pode abrir portas profissionais”, observa.

Militão relembra com carinho dos tempos de escola.  “A minha formação foi toda no Colégio Santo Agostinho, onde estudei desde a primeira série do ensino fundamental até a conclusão do ensino médio”, conta.  Assim como o amigo João Victor, ele também se inspirou nas aulas e dicas do professor de geografia, Márcio Rocha, principal incentivador para a graduação em engenharia. “Nas aulas de geografia me sentia motivado para cursar engenharia. Sou muito grato ao colégio e ao professor Mário Rocha”, homenageia.

A Aleluia Heringer, diretora de Relações Institucionais do Colégio Santo Agostinho, pontua que a instituição se sente honrada em ver o crescimento pessoal e profissional de seus ex-alunos. “A escola atua na base da formação do sujeito. Lida com mentalidade, percepção e isso graças ao longo período da escolarização básica. Ver o sucesso e o crescimento de nossos alunos e ex-alunos comprova a eficiência de nossas diretrizes na formação intelectual, na convivência coletiva, no respeito à diversidade e pluralidade de nossa sociedade”, diz Aleluia Heringer.

Sobre o Colégio

O Colégio Santo Agostinho, mantido pela Sociedade Inteligência e Coração (SIC), foi fundado em Belo Horizonte (MG), em 1934, pelos freis agostinianos recém-chegados da Espanha. Já formou gerações de crianças e jovens ao longo de décadas de ensino, sempre primando pela excelência da educação oferecida e pelo trabalho de formação humano-cristã de seus alunos. Prestando serviços da Educação Infantil ao Ensino Médio, atende, atualmente, a cerca de 8,5 mil alunos nas Unidades de Belo Horizonte (nos bairros Santo Agostinho e Gutierrez), Contagem e Nova Lima.

anúncios

 

 

 

 

anúncios

 

 

 

 

Pacote de Viagem – Japão (Tóquio) – 2023 e 2024 a partir de 2399 reais com Aéreo + Hospedagem

Pós-graduação gratuita em Gestão Pública está com inscrições abertas