Espetáculo “Fedra”, adaptado da versão clássica de Racine, estreia na capital mineira

Foto: Divulgação

Um texto do século XVII, adaptado de uma tragédia grega, a respeito de um tema incrivelmente atual – o empoderamento feminino. Assim é a história de Fedra, versão clássica do dramaturgo francês Jean Racine (1639-1699) para a tragédia grega de Eurípides, que ganhou montagem do Club Noir, sob a direção de Roberto Alvim. A discussão sobre a sexualidade feminina e sua dissonância em relação aos papéis sociais de mãe, esposa e cidadã, são o enredo central do espetáculo, que estreia na capital mineira dia 26 de abril, seguindo temporada até 20 de maio, sempre de sexta a segunda, no Teatro I, do CCBB Belo Horizonte.



O mito da insurreição feminina contra o poder e as regras sociais é o eixo principal da tragédia. Na trama, Fedra (interpretada por Juliana Galdino, vencedora do Prêmio Shell de melhor atriz por “Medéia”) é casada com o rei Teseu. Ela se apaixona por Hipólito, filho de seu marido. Quando Teseu é declarado morto na guerra, Fedra cria coragem e assume seu amor por seu enteado. Mas Teseu retorna e, ao descobrir a paixão incestuosa de sua esposa por seu filho, precipita uma série de eventos que conduzem o reino à catástrofe.

 

Fedra é a tragédia que brota de nosso medo mais terrível: o de nos apaixonarmos por aquilo que a sociedade, com suas leis e regras, não nos permite. Para o diretor Roberto Alvim, a peça expõe a coragem de uma mulher situada no centro do poder. “Essa insurreição atravessa seu papel de cidadã, no governo, como mãe e esposa. Tudo é atingido”.

+Compre seu apartamento pelo Minha Casa Minha Vida!

O texto de Racine, escrito na França em 1677, imortalizou-se na História do Teatro, tendo sido encenado por alguns dos maiores diretores contemporâneos. A grande montagem brasileira foi realizada por Augusto Boal e protagonizada por Fernanda Montenegro em 1986.

anúncios




Sobre a Cia. Club Noir

A companhia Club Noir foi criada em 2006 pelo diretor e dramaturgo Roberto Alvim e pela atriz e diretora Juliana Galdino. Em 13 anos de existência, a Cia. já apresentou mais de 50 espetáculos, sendo vários deles premiados como “O Quarto”, que recebeu o prêmio Bravo de melhor espetáculo em 2008; “Peep Classic Ésquilo”, vencedor do prêmio APCA de 2012; “Tríptico Samuel Beckett”, vencedor do prêmio de melhor atriz para Nathalia Timberg no prêmio Faz Diferença, do jornal O Globo. Com “Leite Derramado” (2016), a Club Noir recebeu indicação ao Prêmio APCA de Melhor Atriz – Juliana Galdino; três indicações ao Prêmio Shell: Melhor Atriz – Juliana Galdino, Melhor Direção – Roberto Alvim e Melhor Iluminação – Domingos Quintiliano.

 

Roberto Alvim é dramaturgo e diretor há quase 30 anos e realizou mais de 120 obras teatrais, encenadas no Brasil e em países como França, Alemanha, Bélgica, Suíça, Argentina e México. Já recebeu todos os principais prêmios do Brasil: Prêmio Bravo, APCA, Aplauso Brasil e Governador do Estado de São Paulo.

Atriz e diretora, Juliana Galdino ministrou aulas na Escola de Comunicação e Artes da USP (ECA-USP), e foi membro do CPT de Antunes Filho entre 1999e 2006.  Em 2002,  recebeu o Prêmio Shell de melhor atriz por “Medeia”, e foi novamente indicada por “Comunicação a uma Academia” (2009).

 

FICHA TÉCNICA DO ESPETÁCULO “FEDRA”

Texto Original: Jean Racine
Tradução, Adaptação e Direção:
 Roberto Alvim 
Elenco:
 Juliana Galdino, Caio D’Aguilar, Luis Fernando Pasquarelli, Christian Malheiros, Nathalia Manocchio, Luiz Otávio Vizzon e Victoria Reis

anúncios

Cenografia e Iluminação: Roberto Alvim
Trilha Sonora e Composição Musical: LP Daniel
Figurinos:
 Anne Cerutti

Pesquisa musical:Roberto Alvim e L P Daniel
Captação de Piano: Priscila Camargo e LP Daniel
Cenotécnico:
 Fernando Bretas
Designer:
 Luciano Angelotti

Fotos e vídeo: Edson Kumasaka
Direção de produção:
 Dani Angelotti 
Realização: Club Noir e Cubo Produções

 

anúncios

Informações

Local: Centro Cultural Banco do Brasil – TEATRO I
(Praça da Liberdade, 450 – Telefone: 31 3431-9400)

PERÍODO: 26 de abril a 20 de maio (sexta a segunda)
HORÁRIO =  20h

Duração: 60 minutos
Classificação indicativa: 16 anos

Ingresso: R$ 30 (inteira)
>> Clientes Banco do Brasil tem 50% de desconto.

R$ 15 (meia)
>> Estudantes, pessoas com deficiência e maiores de 60 anos.

Written by Redacao

.

NÃO É SÓ DE BACALHAU QUE SE FAZ UMA SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO

ID Jovem garante gratuidade no transporte e meia-entrada para jovens até 29 anos