Equipamento de última geração trata flacidez da pele e ajuda a eliminar gordura localizada 

Aparelho israelense vem sendo usado para procedimentos faciais e corporais, como a lipoaspiração. Cirurgião plástico da Rede Mater Dei de Saúde fala sobre as indicações e cuidados 

Um equipamento que está sendo considerado o que há de mais moderno na atualidade para tratar a flacidez da pele e remodelação facial e corporal minimamente invasivos já está sendo usado no Hospital Mater Dei, em Belo Horizonte. O Bodytite & Morpheus, de fabricação israelense, é considerado de última geração em tecnologia no mundo e recebeu aprovação da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Food and Drugs Administration (FDA), a agência regulatória para medicamentos e produtos de saúde nos Estados Unidos.

De acordo com o médico da Rede Mater Dei de Saúde, Etienne Soares de Miranda, cirurgião plástico especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), os avanços tecnológicos permitem que os pacientes recebam os tratamentos mais modernos do mercado, ampliando as possibilidades de os médicos prestarem um atendimento personalizado, diferenciado e humano.

anúncios

“A tecnologia é um meio para entregarmos atendimentos de excelência, e não um fim. A cirurgia plástica, de modo geral, é um trabalho bem manual ainda e a lipoaspiração, por exemplo, foi fruto do desenvolvimento e da evolução de várias tecnologias para derreter e aspirar gordura do corpo. E faltava uma tecnologia que tratasse a flacidez da pele. Sempre fui meio cético a equipamentos em cirurgia plástica, pois os resultados não eram tão satisfatórios, mas essa tecnologia promove de fato resultados impressionantes, com a segurança e a excelência do atendimento ao paciente pelas quais a Rede Mater Dei tanto preza”, diz.

O equipamento vem sendo usado por Etienne Miranda desde dezembro de 2021, para procedimentos na face e aliado à lipoaspiração comum ou de alta performance, também conhecida como lipo HD. “No caso de uma lipoaspiração, você aspira a gordura e usa o mesmo orifício de inserção da cânula na pele para aplicar a radiofrequência do Bodytite & Morpheus. A pele se retrai em até 47% e, em alguns casos, não há a necessidade de cortes, que gerariam cicatrizes”, explica.

A radiofrequência é bipolar, disparada dentro e fora da pele, chegando a 70 graus internamente e 40 graus externamente. “A tecnologia oferece uma remodelação 3D do corpo, com a contração da derme, do tecido subcutâneo e  do tecido adiposo profundo, por meio da lipólise. Além de reduzir a flacidez, atua bem também na redução de gordura localizada”, acrescenta.

Uso em várias partes do corpo – Como o resultado gerado pelo aparelho é de redução da flacidez, ele pode ser usado não apenas na barriga, mas na coxa, braço, rosto em geral, para tratar a papada, pálpebras caídas e até para tirar flacidez no joelho. “Este é um tratamento 100% estético, mas que segue todas as premissas de uma cirurgia normal, ou seja, o paciente precisa fazer os exames de risco cirúrgico (cardiologia e anestesia) e fazer a internação. Em alguns casos, a pessoa é liberada no mesmo dia. Se o uso do aparelho for associado a uma lipoaspiração ou abdominoplastia, por exemplo, precisa seguir todo o ritual tradicional da internação, do pré ao pós-cirúrgico, ou seja, pode ser necessário usar cinta modeladora e fazer sessões de fisioterapia pós-operatória”, esclarece o médico.

Por ser minimamente invasivo, alguns procedimentos podem ser realizados até mesmo em caráter ambulatorial. Isso significa menor tempo de recuperação e retorno às atividades em menos tempo. Além disso, segundo Etienne Miranda, o procedimento gera menos inchaço, menos dor e o resultado aparece mais rápido. O médico acrescenta ainda que a plataforma pode ser usada de duas formas: uma com ponteira minimamente invasiva e outra com ponteira não invasiva. A Bodytite é a primeira; já a Morpheus é dotada de 40 microagulhas revestidas de ouro que ao penetrar na pele disparam a radiofrequência, gerando alta estimulação de colágeno.

“Importante ressaltar que esta é uma tecnologia totalmente operador dependente, ou seja, precisa ser manuseada adequadamente por médico experiente sob o risco de não produzir resultado eficiente ou até mesmo gerar complicações, como fibroses, queimaduras ou acidentes graves. Resumindo: não basta ter o equipamento, é preciso saber usá-lo”, alerta o cirurgião.

 Sobre a Rede Mater Dei de Saúde 

Somos uma rede de saúde completa, com 42 anos de vida, tendo o paciente no centro de tudo e ancorada em três princípios: inteligência e humanização como pilares do atendimento; tecnologia como apoio da excelência; e solidez das governanças clínica e corporativa. Nossos serviços médico-hospitalares estão disponíveis para toda a família, em todas as fases da vida, com qualidade assistencial e profissionais altamente capacitados e especializados. Estamos em expansão, levando para mais pessoas o Jeito Mater Dei de Cuidar e de Acolher. Nossa premissa é valorizar a vida dos nossos pacientes em cada atendimento, disponibilizando o melhor que a medicina pode oferecer.

anúncios

 

Una sedia pré-lançamento do livro Minas na Mesa

Terceira edição do Território Arte Urbana abre convocatória para mostra de intervenções artísticas