“Encontro Marcado” realiza mostra cinematográfica gratuita na Escola de Design da UEMG

Os apaixonados pela arte e pela cultura mineira terão uma programação especial na   exposição “Encontro Marcado/300 Anos de Minas Gerais”, que homenageia Fernando Sabino. Até o dia 12 de outubro, será realizada uma mostra cinematográfica na Escola de Design da UEMG. Serão exibidos quatro longas, 14 curtas de ficção, um documentário e 10 curtas sobre importantes autores nacionais dirigidos por Sabino. A exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 13h às  19h, até 12 de outubro. A entrada é gratuita.

Entre os destaques, está o filme “Faca de Dois Gumes”, baseado na obra homônima de Fernando Sabino. O longa surpreende do início ao fim. Um clássico do policial brasileiro, um gênero tão raro em nosso cinema. Ele levou o prêmio de melhor direção, som, fotografia e cenografia no Festival do Cinema Brasileiro de Gramado de 1989,  melhor filme e montagem no III Festival de Cinema de Natal de 1989 e melhor filme, edição de som e trilha sonora no VI Rio-Cine-Festival de 1990.

anúncios

Já o filme  “O Grande Mentecapto”, produzido pelo diretor brasileiro Oswaldo Caldeira entre 1986 e 1989, com roteiro de Alfredo Oroz, também coleciona premiações. O longa conquistou o prêmio Golden Metais como melhor direção, melhor roteiro, melhor música, melhor ator, melhor atriz. Levou o prêmio Melhor Música Golden Metais em 1991, como melhor filme do júri popular no Festival de Gramado de 1989, melhor ator do Rio Cine Festival em 1991 e no mesmo ano o prêmio de melhor atriz coadjuvante do Rio Cine Festival.

No feriado do dia 12 de outubro, data que também é comemorado o aniversário de Fernando Sabino, o produtor Guilherme Fiuza, diretor do filme “Menino no Espelho” estará presente na exposição para um bate-papo especial. O filme se tornou sucesso de crítica no Brasil e exterior, sendo comercializado para 16 países da Europa.

Além disso, os artistas do Libertas Coletivo de Arte, parceiros e curadores da exposição, prepararam uma surpresa para os visitantes da mostra. Também é possível visitar as manifestações artísticas feitas pelo Libertas ao ar livre, no Circuito Cultural da Praça da Liberdade, todas elas inspiradas no livro “Encontro Marcado” de Fernando Sabino.

“A mostra cinematográfica é mais uma forma de valorizar a importante história de Fernando Sabino para a cultura e a literatura mineira. Inspirados em suas obras, produtores e cineastas deram vida a personagens e contos que marcaram a vida de muitos brasileiros. Convido toda a população a prestigiar esse evento e a se aprofundar nas obras deste renomado escritor, além de, claro, prestigiar o cinema e a arte brasileira”, destaca Luis Carlos Brito Lopes, diretor da Glória Comunicação, que há mais de 10 anos é a responsável pelo marketing, comunicação e promoção do Projeto Encontro Marcado.

A Exposição “Encontro Marcado/300 Anos de Minas Gerais” foi viabilizada com recursos da Lei Aldyr Blanc de incentivo à cultura, Governo de Minas Gerais, com o patrocínio da Secretaria Especial da Cultura e Turismo  de Minas Gerais e Circuito Praça da Liberdade, Ministério do Turismo e Governo Federal.

Confira a programação completa e a sinopse dos filmes:

Sexta 8/10

15:00

anúncios

Carlos Drummond – O Fazendeiro do Ar de Fernando Sabino                                                                                    

Macacos me Mordam de César Maurício e Sávio Leite                                                       

Documentário Encontro Marcado de Feliciano Coelho, Bernardo Sabino e Marinho Antunes

Bate papo com Bernardo Sabino, Filho do escritor e Presidente do Instituto Fernando Sabino sobre a produção dos filmes inspirados na obra do seu pai.

anúncios

Sábado 09/10

10:30

Jorge Amado- Na Casa do Rio Vermelho de Fernando Sabino                                                      

Conversinha Mineira de Jorge Monclar                                                     

O Grande Mentecapto de Oswaldo Caldeira                                                                                  

15:30

Vinicius de Morais- Poesia Música e Amor de Fernando Sabino                                                                                    

Dona Custódia de Adriana Andrade

O Grande Mentecapto de Oswaldo Caldeira                                                                                  

Bate papo com Bernardo Sabino, filho do escritor e Presidente do Instituto Fernando Sabino sobre as oportunidades profissionais na área do audiovisual

Domingo 10/10                                                       

10:30

Guimarães Rosa-Veredas de Minas de Fernando Sabino                                                      

Como Nasce uma História                                                    

O Homem Nu de Hugo Carvana                       

15:00                                                                                     

João Cabral de Melo Neto- O Curso do Poeta de Fernando Sabino                                                                                    

Vinicius de Morais- Poesia Música e Amor de Fernando Sabino                        

Galinha ao Molho Pardo de Feliciano Coelho                                                      

O Homem Nu de Roberto Santos

Bate papo com Bernardo Sabino, filho do escritor e Presidente do Instituto Fernando Sabino sobre o sucesso das duas produções inspiradas no conto O Homem Nu

Segunda- feira 11/10

15:00

Érico Veríssimo-Um Contador de Histórias  Direção Fernando Sabino                                                                                        Apertadinho – Jorge Monclar                                                                                         Faca de 2 Gumes – Murilo Sales

 Bate papo com Bernardo Sabino, filho do escritor e Presidente do Instituto Fernando Sabino sobre as importantes premiações conquistadas pelos filmes de Fernando Sabino

Terça Feira 12 /10 – Aniversário de Fernando Sabino

10:30

Érico Veríssimo-Um Contador de Histórias  Direção de Fernando Sabino                                         Apertadinho de Jorge Monclar                                                                                   

Faca de 2 Gumes – Direção de Murilo Sales

15:00

Manoel Bandeira- O Habitante de Passárgada de Fernando Sabino

Galinha ao Molho Pardo de Feliciano Coelho

O Menino no Espelho de Guilherme Fiuza

Bate papo com o Guilherme Fiúza sobre a produção do Filme e as perspectivas do Cinema Nacional pós Pandemia

SINOPSE DOS FILMES MOSTRA FERNANDO SABINO

LONGAS – METRAGENS

O HOMEM NU (dir. Roberto Santos, 1968, 118’)

Uma deliciosa comédia de erros, que narra as confusões causadas pelo professor de música folclórica (Paulo José) que fica acidentalmente trancado pelo lado de fora do apartamento de uma amiga, completamente nu. A partir daí, o homem – do jeito como veio ao mundo – passa por uma série de situações inusitadas, fugindo de um lado para outro para se proteger de uma população inteiramente escandalizada. Com Paulo José e Leila Diniz.

Classificação: 12 anos

O GRANDE MENTECAPTO (dir. Oswaldo Caldeira, 1989, 101’)

De cidade em cidade, ele ia conquistando os corações femininos e arranjado as maiores confusões com sua mania de querer consertar o mundo. Desde menino, quando sonhava em parar uma locomotiva com mãos, aos tempos de serviço militar, deixando doido o capitão, até quando considerado louco (mesmo) foi parar no hospício de Barbacena. E mesmo assim não parou com suas manias, enlouquecendo o governador quando, na capital, liderou um movimento de loucos, mendigos e prostitutas. Com Diogo Vilela, Débora Bloch, Luiz Fernando Guimarães, Regina Case, Osmar Prado, Imara Reis, Jofre Soares e Antônio Pedro.

Classificação: 12 anos

FACA DE DOIS GUMES (dir. Murilo Salles, 1989, 97’)

Faca de Dois Gumes narra a trajetória de Jorge Bragança, um advogado famoso, de família ilustre, marido apaixonado, que descobre que sua mulher está lhe traindo com seu sócio e melhor amigo. Jorge planeja vingança, preparando meticulosamente todas as peças de sua ação. Mas sua atitude passional acaba por levá-lo a se envolver numa série de acontecimentos imprevistos que transformam sua vida em uma verdadeira faca de dois gumes. Com Paulo José, Marieta Severo e José de Abreu.

Classificação: 16 anos

O HOMEM NU (dir. Hugo Carvana, 1997, 75’)

Sílvio Proença, 45 anos, precisa embarcar para São Paulo. No aeroporto encontra um grupo de choro, velhos companheiros de música e copo, que também aguardam o mesmo voo. Entre eles está Marialva, a linda sobrinha do bandolinista do grupo. É quando uma tempestade de verão acaba por cancelar o voo, fazendo com que o grupo, inclusive Proença, siga para o apartamento de Marialva, onde a roda de choro continua. Seduzido pela música e pelos encantos da mulata, Proença só desperta na manhã seguinte, quando acorda, nu, na cama de Marialva. Ainda zonzo, caminha para apanhar o pão deixado à porta do apartamento. Corredor vazio, arrisca dois passos para fora do batente. Desgraça: uma lufada de vento bate à porta e o deixa trancado fora do apartamento, num prédio desconhecido, completamente nu. Descoberto pelos vizinhos, foge em pânico para a rua, onde se inicia uma série de situações patéticas e hilariantes que vão mobilizar toda uma cidade. Com Cláudio Marzo, Lúcia Veríssimo, Daniel Dantas e Isabel Fillardis.

Classificação: 12 anos

O MENINO no ESPELHO – ( dir. Guilherme Fiúza, 2012, 75’)

Belo Horizonte, anos 1930. Fernando ( Lino Facioli) é um garoto de 10 anos que está cansado de fazer as coisas chatas da vida. Seu sonho era criar um sósia, que ficasse com estas tarefas enquanto ele pudesse se divertir à vontade. Até que, um dia, é exatamente isto que acontece, quando o reflexo de Fernando deixa o espelho e ganha vida.

Classificação: Livre

CURTAS – METRAGENS

Classificação: Livre

APERTADINHO – 07’33” ( Jorge Monclar)

Num aeroporto, o escritor Fernando Pinto Amaral ( André Mattos) e seu amigo Josué ( Munir Kanaa) chegam atrasados para o embarque, quando o repórter Jota Morais ( Luiz Machado) lhe pede algumas palavras para o seu programa de rádio ao vivo. Em razão da insistência do repórter, o escritor concede a entrevista. Devido aos ruídos do local, eles entram numa cabine telefônica. Após a entrevista, repórter e entrevistado percebem que estão entalados na cabine, gerando uma grande confusão.

GUERRILHA CONJUGAL – 09’30” ( Jorge Monclar)

Uma jovem esposa ( Cláudia Rodrigues) prepara um belo jantar à luz de velas para o seu marido ( Marcos Pasquim) mas leva um inesperado “bolo”. Telefona para o seu emprego e descobre que ele não está fazendo “cerão”. Desorientada e sem saber o que fazer , resolve ligar para sua irmã mais velha (Mariana Santos) que vem em seu socorro e estuda um plano para que ela se vingue do marido traidor. Quando arruma a mala para uma fuga para a casa da mãe, o marido chega e nem percebe o que ela preparará para ele. Está estabelecida a guerrilha conjugal.

TAMANHO não é DOCUMENTO -04’56” ( dir Jorge Monclar)

Um pacato funcionário público ( Marcos Hollanda), pela primeira vez em quinze anos, perde sua hora. Resolve no caminho para o trabalho entrar num botequim “pé sujo” para tomar um suco de laranja desagradando o comerciante ( André Mattos) que só vende laranjada. O grosso comerciante xinga a sua funcionária, a tímida garçonete ( Bia Guedes), que desobedeceu o regulamento da casa. O franzino freguês resolve sair em defesa da garçonete e mostrar ao corpulento comerciante que tamanho não é documento.

PÉ na ALCOVA -13’44” ( dir Jorge Monclar )

No meio da noite a esposa ( Renata Castro Barbosa) de Oscar ( Eduardo Galvão) cisma ter ouvido ruídos no quarto da empregada Valdirene ( Paula Frascari). Ela intima o marido de ir averiguar várias vezes até que a coisa se transforma numa briga de casal, interrompida pela chegada do filho ( Pedro Bahia). Resolvem ir toda a família fazer a investigação. Lá no pequeno quarto, encontram sob a cama de Valdirene quem jamais podiam imaginar.

SANTA TURBULÊNCIA – 11’21”( dir Jorge Monclar)

Um casal está prestes a embarcar numa viagem dos seus sonhos, quando a esposa resolve recuar por medo de voar. Como negociarão o impasse? Só São Pedro pode opinar numa situação dessas. O negócio é conversar com ele ou o seu representante, um padre, ou quem sabe então, com a aeromoça e comissária .

SOBE ou DESCE – 10’50” (dir. Jorge Monclar)

Num prédio misto (escritórios e apartamentos) de uma grande metrópole, convivem as mais diferentes pessoas, das mais variadas classes sociais. O elevador que serve ao prédio é velho e vive enguiçando, comandado há mais de trinta anos pelo cabineiro Alcides (Ednaldo Lucena). Entram no elevador, para mais um dia de trabalho: Sessé, (Ronalth Abreu) um office boy evangélico e gay, uma diarista (Nádia Carvalho), um negro baixinho, americanizado e metido a jogador de basquete Shaq (Ivo Meirelles), uma perua, moradora do prédio não muito respeitável, mas com a cabeça em Miami e Paris (Denise Fortunato) e o Executivo e ex-síndico do prédio Fernando (Jorge Vasconcellos). Tudo vai bem até que o elevador apresenta uns barulhos estranhos e todos reclamam. De repente, um cheiro estranho invade o elevador. Há uma troca de acusações. Finalmente, todos acham que foi Shaq quem se excedeu e o expulsam do elevador, na primeira parada. Revoltado, ele persegue o elevador pelas escadas. Na primeira parada, Shaq invade o elevador assumindo o comando. Leva todo mundo para o último andar recebendo os impactos de seus flatos. De repente, o elevador enguiça entre um andar e outro. Todos querem sair, mas falta luz.

CINEMA na PONTA da LINGUA – 10’17” (dir. Jorge Monclar)

Este filme conta a história de três casais de cinéfilos que se reúnem no apartamento de um deles para um almoço amigável. Durante este encontro, o dono da casa conta o que vê no apartamento da vizinha. Ele pensa em filmá-la com uma câmera que pretende comprar, mas esqueceu a marca. Todos tentam adivinhar, porém ninguém consegue lembrar. Todos os diálogos e ironias do filme transcorrem através de títulos de filmes populares já exibidos nos cinemas e em emissoras de TV. Acuado pelos amigos, o dono da casa refugia-se no banheiro, onde consegue lembrar da marca da câmera, ele volta triunfante para a sala e…

UMA AMEAÇA de MORTE – 14′ 55″ (dir. Jorge Monclar)

Este conto foi o primeiro escrito por Fernando Sabino, aos 14 anos de idade e que saiu vencedor de um concurso literário. Trata-se de uma comédia policial onde um ex- funcionário público(Ronalth Abreu), ganha na loteria.Ele morre de medo de ser morto, após receber uma suposta ameaça de morte pelo correio. Vive numa bela casa num bairro nobre, acompanhado por sua governanta(Alexandra Richter), uma alemã autoritária que organiza e comanda sua vida.Após receber uma carta ameaçadora, chama a polícia e contrata capangas para vigiarem sua casa. Seu medo e paranóia leva-o a sonhos incríveis. Por coincidência, um ladrão “pé de chinelo” ( Nilvan Santos) invade a casa sendo pego pelo policial(José Mário). porém, nesse momento, o imbróglio se desfaz e o novo rico manda o policial soltar o ladrão. No entanto, o policial.

MEU MELHOR AMIGO 06′ 39″ (dir. Jorge Monclar)

Nesta ingênua história infantil de Fernando Sabino, com roteiro e direção de Jorge Monclar, Pedrinho (Pedro Saback) um menino como muitos outros, ao voltar da escola encontra o cãozinho Luna que imediatamente torna-se o seu melhor amigo. Leva-o para casa, mas não imagina que sua mãe (Denise Fortunato) não vai querer um animalzinho em seu apartamento. A permanência da cadelinha Luna é negociada ao máximo pelo menino com sua mãe. Ela está irredutível e o menino é obrigado a levar o animal de volta para as ruas. A mãe fica preocupada com a sua radicalização, consulta o ex-marido, mas o menino volta da rua lépido e faceiro com a solução que encontrou para o seu “melhor amigo”.

A SAIDEIRA 08’30” (dir. Jorge Monclar)

Numa história de Fernando Sabino, com roteiro e direção de Jorge Monclar, dois publicitários em crise de criação (Jorge Vasconcellos e Marco Guahyba) reúnem-se em seu “escritório” (o bar que mais freqüentam) na tentativa de criarem um slogan publicitário sensacional. Ambos tem como ídolo Siqueira, um grande homem de criação que nunca mais apareceu naquele bar. E o que parece encontra-se desempregado. Tentam há horas encontrar a cada copo uma fonte de inspiração. Pedem palpite ao garçom (Paulo Roque) que tenta há hora sem xotá-los do estabelecimento. No auge da embriaguez, os dois boêmios deparam-se com a chegada fantasmagórica de Siqueira (participação especial e afetiva de David Pinheiro) que após “a saideira” leva-os embora, não sabemos para onde…

A ÚLTIMA CRÔNICA – 7′ (dir. Jorge Monclar)

No último dia do ano, um jornalista (André Gonçalves) flana pelo bairro conversando ao telefone celular. Desculpa-se com o seu chefe por não estar inspirado para escrever a última crônica a ser publicada pelo jornal em que trabalha. Apesar de atravessar as mais bizarras situações, não encontra fonte de inspiração para a sua crônica. Entra num bar onde assiste uma cena com uma família humilde (Roberta Rodrigues, André Ramiro e as crianças Letícia Ferreira e Camile Vitória) que o comove e o inspira mas, não consegue convencer o seu chefe.Tenta convencê-lo de republicar a que ele achar a melhor do ano.

CONVERSINHA MINEIRA – 7’21” (dir. Jorge Monclar)

Numa cidade do interior de Minas Gerais, um passante entra numa leiteria para tomar um café com leite. O Dono do bar e seu comparsa, desenrolam uma longa conversa com este freguês, até que ele descubra que na leiteria nem sempre

UM ENCONTRO INESQUECÍVEL – 12′ 33″ (dir. Jorge Monclar)

Um “pegador” nato é vidrado na bela balzaquiana que cruza em vários cantos do bairro em que moram. Ele ataca em todas as oportunidades: é no supermercado, nas ruas, em frente uma livraria e não consegue nada. Um dia, o acaso os aproxima num acidente numa ciclovia, às margens da lagoa Rodrigo de Freitas. O conquistador não perde a oportunidade e passa-lhe o seu número do seu telefone, quem sabe…

DONA CUSTÓDIA – 13’ (dir. Adriana Andrade)

Baseado no conto homônimo do escritor Fernando Sabino, o curta-metragem narra a estória de um escritor solitário que tem sua rotina alterada pela presença de sua nova empregada: Dona Custódia.

GALINHA AO MOLHO PARDO – 9’30” (dir. Feliciano Coelho)

O menino Fernando vive aventuras ao tentar salvar a vida de uma galinha que seria preparada ao Molho Pardo pela cozinheira Alzira para o almoço de domingo. Filme baseado em conto do livro “O Menino no Espelho” de Fernando Sabino.

DOCUMENTÁRIO – ENCONTRO MARCADO COM FERNADO SABINO –

(dir. Bernardo Sabino)

Depoimentos do cronista e dos escritores Luis Fernando Veríssimo e Affonso Romano de Sant´anna; da secretária Fabiana Rodrigues, da filha Verônica e do ator Paulo Betti, além de imagens do filme de Oswaldo Caldeira, O grande mentecapto, inspirado no romance do escritor que elevou a crônica à categoria de alta literatura. Nas palavras de Zuenir Ventura, Fernando é o mestre de todos nós.

LITERATURA NACIONAL CONTEMPORÂNEA: Direção Fernando

Sabino Classificação: Livre

O Fazendeiro do Ar – Carlos Drumond de Andrade 9’37”

Um dia na vida do grande poeta de nosso tempo. A presença de Mina como fonte permanente de inspiração da sua poesia. Uma entrevista ao vivo que é o mais completo depoimento já prestado sobre sua vida e sua obra.

Poesia, Música e Amor – Vinícius de Moraes 9’20”

Uma visão do poeta, desde os primeiros versos aos 6 anos de idade, até os sucessos alcançados em shows musicais no Brasil e na Europa. Uma vida numerosa e rica de experiências, vivida sob signo do verso, da melodia e da mulher.

O Curso do Poeta – João Cabral de Melo Neto 9’55”

O curso de sua poesia, como o do Rio Capibaribe que ele contou em seus versos. Direção de Jorge Laclette, e comentário ao vivo do poeta, procurando interpretar seus versos através da impressionante paisagem nordestina e sua sofrida fauna humana.

O Habitante de Passárgada – Manuel Bandeira 9’28”

A tocante simplicidade do criador de Passárgada na sua solidão: seus hábitos diários, os momentos de inspiração poética, o ambiente em que viveu, admiravelmente retratados sob a direção de Joaquim Pedro de Andrade. Um documento precioso para a história da literatura brasileira.

Um Contador de Histórias – Érico Veríssimo 9’42”

O criador da saga do Rio Grande do Sul em seu ambiente, cercado pelo clã familiar: o convívio com os filhos e os netos, o retorno à cidade onde nasceu, a explicação de sua obra, de viva voz. Uma tocante visão do romancista gaúcho como homem e como intelectual.

Na Casa de Rio Vermelho – Jorge Amado 9’32”

O mundo numeroso e multiforme do criador de Gabriela em sua própria casa, cercada de amigos, artistas plásticos, obás e babalaos do candomblé. A própria Bahia no microcosmo em que vive o romancista, e sua profissão de fé de homem e artista.

Veredas de Minas – João Guimarães Rosa 10’51”

Depoimentos ao vivo de Manuelzão, Zito e outros personagens do criador de “Grande Sertão – Veredas” , sobre o romancista e o mundo fabuloso onde recolheu material para sua obra imortal. A posse dramática na Academia Brasileira de Letras dois dias antes de sua morte.

Em Tempo de Nava – Pedro Nava 9’34”

Durante muitos anos considerado poeta bissexto, irrompe ele de súbitos no cenário literário com as suas memórias, verdadeiro monumento de nossa literatura. Suas atividades de médico, o meio em que vive e trabalha, seus amigos mineiros, suas idéias e sua simpatia humana.

Romancista ao Norte – José Américo de Almeida 9’09”

O autor de “Bagaceira” surpreendido na terra de que se fez intérprete – a Paraíba, onde vive atualmente, aos 87 anos, com a mesma lucidez e a mesma integridade que caracterizaram a sua presença na vida pública e intelectual do Brasil. E ainda um depoimento ao vivo de Tristão de Athayde.

O Escritor na Vida Pública – Afonso Arinos de Melo Franco 8’42”

Uma linhagem intelectual que remonta às mais legítimas tradições da inteligência brasileira. Sua presença, como escritor e intelectual, nos mais dramáticos momentos de nossa política e nossa vida pública. Seus hábitos

Como Nasce uma História – (dir. Emerson de Oliveira e Willian Marques)

Inspirado no conto ‘‘Como Contar Um Conto’’ de Fernando Sabino, o curta-metragem nos responde o questionamento de como nasce uma história ao nos transportar para uma situação comum do dia a dia de qualquer pessoa: um passeio de elevador. É nessa cena que acompanhamos a narrativa do protagonista e a sua inquietação diante de um aviso peculiar pregado dentro do elevador.

Macacos me Mordam – (dir. César Maurício e Sávio Leite)

O que de tão inesperado uma falha de comunicação pode ser capaz de causar a ponto de uma cidade nunca mais ser a mesma? É o que vamos descobrir neste divertido curta-metragem baseado no conto ‘‘Macacos Me Mordam’’ de Fernando Sabino! Uma dose de surpresa, comédia e insanidade nos envolvem a cada minuto enquanto acompanhamos a maior aventura que uma população inteira pode experimentar junta.

Pacote Lua de Mel em Aruba (Casal) em 2023 a partir de 3999 com Aéreo + Hospedagem com Café da Manhã para o casal

Semana da Criança no Power Shopping Centerminas tem oficinas recreativas e atração infantil especial