Educador mineiro divulga Manual de atividades para driblar o Covid-19.

O tempo não é bom para atividades de rua, passeios em lugares com grande aglutinação de pessoas, e todos estão sendo orientados à ficar em casa, como o menor contato possível com outras pessoas.

“Nestas horas, pode ser um bom momento para aprendermos coisas novas, aprimorar conhecimentos, aprender brincando ou mesmo passar mais tempo em família”.

O educador e artesão Rafael Sol foi colunista de jornais impressos durante 3 anos, e neste período foi capaz de apresentar ao público de professores, bibliotecários, arte-educadores, agentes sociais e interessados em sustentabilidade uma vasta gama de projetos realizados com materiais não estruturados, ou lixo doméstico, tais como garrafas Pet, papelão e muito mais.

“Hoje estamos oferecendo ao público o que seria a coletânea do projeto. Com todos os brinquedos em um só kit para pais e professores realizar atividades poderosas com seus filhos. Estamos alinhados com a cultura maker, do “faça você mesmo”. A idéia que criarmos um universo lúdico utilizando os resíduos do dia-a-dia. Podemos trabalhar com resolução de problemas, aulas sobre que cidade queremos, fábulas, entre outras iniciativas.

É importante higienizar bem os materiais antes de usar. Lavar com sabão, ou melhor, já separar logo antes do descarte, para não dar tempo do material precisar de ser processado.

anúncios

O projeto inclui 100 receitas ilustradas, ensinando como criar brinquedos e objetos artísticos com materiais reutilizáveis.

Aprender Fazendo

Um dos maiores conceitos hoje em dia da educação desruptiva, é o “learning by doing” ou aprender fazendo. Notamos que as crianças se envolvem mais. Colocam maior engajamento nas atividades, e aprendem de um jeito divertido

Todos os projetos estimulando a concentração, o foco, a curiosidade, o raciocínio crítico e a criatividade na resolução de problemas, contemplando os 4Ps do MIT Media Lab:

  • Projetos: as crianças aprendem melhor quando trabalham ativamente em projetos – gerando ideias e desenvolvendo protótipos;

  • Parcerias: o aprendizado floresce como uma atividade social e cooperativa, com a garotada compartilhando ideias e colaborando em projetos uns dos outros.

  • Paixão: quando as crianças gostam do que fazem, elas têm mais persistência frente aos desafios e aprendem mais durante o processo;

  • Play: Aprender envolve total experimentação – tentar novas coisas, criar, testar limites, aceitar riscos e refazer processos.

Além de fornecer um manual de instruções criativo para as famílias e escolas, o projeto visa contemplar 100 instituições sociais da Grande BH com um cópia impressa do Manual Maker, serão 3 volumes para abastecer os agentes comunitários com diversas projetos de baixo custo. As crianças crescem com as atividades, e o Meio Ambiente agradece.

Foto: Isis Luna

Veja um dos brinquedos que foi veiculado na Folhinha (Folha SP)  Link aqui

“Além das recompensas de menor valor, temos budgets para projetos de marketing corporativo. Hoje sabemos que as empresas não estão com foco somente no lucro, mas também em gerar impacto positivo nas comunidades onde estão inseridos. Portanto, empresas podem entrar com posicionamento de marca na publicação. O projeto compensa para empresas, pois o Manual Maker Reciclagem Divertida vai circular por diversas comunidades, fazendo o branding das mesmas e ampliando seus stakeholders.

Este é o link da campanha. Seja um embaixador da Reciclagem Divertida.

www.benfeitoria.com.br/manualmaker Link

anúncios

www.benfeitoria.com.br/manualmaker

 

 

Written by Rafa el

Pré-venda da linha Galaxy S20 a partir de R$ 3.799 no TIM Black Família 100GB

TIM entrega mais conexão, informação e conteúdo para os clientes durante período de combate ao coronavírus