É possível ser transparente no ambiente de trabalho?

 

Em meio à correria do dia a dia e com agendas cada vez mais atribuladas, todos precisam entregar resultados e lidar com pessoas de perfis cada vez mais distintos. Com a adoção das políticas de diversidade e inclusão pelas empresas, usualmente os pares, liderados ou mesmo líderes nem sempre têm o mesmo repertório e, tampouco as mesmas características, logo, com tamanha diferença, é preciso maestria e maturidade emocional para transitar nesta arena propícia a desafios e atritos.

anúncios

De acordo com o headhunter e CEO da Prime Talent Executive Search, David Braga, o profissional não precisa sempre concordar com a opinião do outro,  mas  também é importante relembrar que em ambientes onde não há concordância 100% com os demais, a opinião pessoal também não deve prevalecer. “Se vivemos em sociedade, precisamos gerenciar nossas relações, em especial dentro do ambiente corporativo, por afetar diretamente nossa credibilidade e como somos vistos pelos pares e demais colegas”, diz.

Com a queda cada vez maior do poder e controle internamente, as empresas, pelo menos as mais estratégicas, têm criado fóruns de discussões e um ambiente onde todos podem expressar suas opiniões sobre absolutamente tudo. “Até mesmo um estagiário está apto a dar uma sugestão que pode literalmente transformar o business. Esse ambiente de conversas, trocas de ideias e brainstorm é saudável em vários aspectos. São oportunidades em grandes, médias e pequenas empresas nas quais as pessoas podem expor o que pensam, contribuindo para encontrar soluções, elaborar projetos e dar andamento a tarefas”, acrescenta Braga.

Nesse contexto, o headhunter ressalta que ser transparente é diferente de dizer tudo o que se pensa. Por isso, aconselha que é preciso cautela com as palavras, cordialidade e educação até mesmo quando sabemos que vamos contrariar alguém com alguma opinião. “Acho interessante buscar sempre agir com transparência e, por isso, acredito que o autoconhecimento seja de suma importância, pois ao se conhecer mais em profundidade você sabe quais são seus pontos fracos e fortes, sabe o que te agrada e do que não gosta, podendo se posicionar em alguns momentos em que não se sentir confortável. Mas sempre tendo em mente que nem sempre faremos somente o que apreciamos e o que gostamos dentro das empresas”, pontua.

Além de autoconhecimento, buscar o equilíbrio no ambiente profissional é fundamental. Seja nas conversas mais duras ou em momentos de embates de ideias, David Braga recomenda a quem deseja uma rotina equilibrada e com sabedoria se planejar para momentos em que uma opinião vai ser requerida sobre determinada situação ou projeto.

anúncios

“Dessa forma fica mais fácil transitar por esses momentos em que você pode ser transparente, expressar suas ideias, sem cometer ‘sincericídios’ ou se indispor com colegas, líder e liderados. Não custa relembrarmos que há situações em nosso dia a dia que precisamos relevar, abstrair e até mesmo esquecer. Não dê tanta importância às desavenças, brigas com seus colegas de trabalho e até mesmo aquelas competições que vivenciamos algumas vezes dentro das empresas. Viva o momento presente. Se houver uma discussão, resolva-a o quanto antes. Quanto mais você se delongar para perdoar, mais densa sua vida se torna”, complementa o headhunter. E você, como tem lidado com esses momentos na sua vida? Tem sido transparente nas relações de trabalho e na vida pessoal?

* David Braga é CEO, board advisor e headhunter da Prime Talent Executive Search. É também Conselheiro de Administração pela Fundação Dom Cabral (FDC) e professor convidado pela mesma instituição. Ele é autor do livro “Contratado ou Demitido – só depende de você” e atua, ainda, como conselheiro da ONG ChildFund, da ACMinas e da Associação Brasileira de Recursos Humanos de Minas Gerais (ABRH-MG). Instagram: @davidbraga | @prime.talent.

Questões neurológicas têm atendimento prioritário no Mater Dei Betim-Contagem

Sorriso Maroto apresenta projeto A.M.A. em Belo Horizonte