Doutor Sono

 

 

Doutor Sono, filme de Mike Flanagan (diretor, roteirista e editor), que também dirigiu Jogo Perigoso e a Maldição da Residência Hill (série da Netflix), é uma adaptação do livro com mesmo nome de Stephen King, que por sua vez é a continuação do filme clássico “O iluminado”.

anúncios

O longa se passa 30 anos depois dos acontecimentos vividos no primeiro filme e conta a história de Dan Torrance o filho de Jack Torrance(personagem principal de o Iluminado).

Danny tenta superar os traumas vivenciados no passado e acaba caindo no alcoolismo e em uma vida sem sentido.Tentando superar tudo isso e lidar com seus poderes, chamado de brilho, ele conhece uma garota que também possui um brilho e a tenta ajudá-la.

As atuações de Ewan McGregor (Danny), Kyleigh Curran (Abra) são boas e ambos os personagens carismáticos. 

Já Rebeca Fergunson( Rose The hat) e a vilã é bem trabalhada, com um objetivo e propósito claro para existir, ela já aparece nas primeiras cenas do filme mostrando sua capacidade de persuadir pessoas e seus poderes paranormais. E quem não gosta de um vilão bem feito? 

Mesmo com um imenso peso nas costas de continuar uma história já consagrada, o filme entrega bem, mas a melhor forma de assisti-lo é tentar não comparar os dois.

Ewan McGregor sabe interpretar um cara acabado quando precisa e também carismático quando necessário, e a Rebeca Ferguson sabe passar um ar de vilã misteriosa, fria e calculista.

No primeiro e no segundo ato o filme acerta muito no suspense e no ritmo, e em uma história que te deixa curioso para entender o que está acontecendo, infelizmente um pouco depois ele cai um pouco e chega a ser um filme mais voltado a fantasia ou aventura.

Não é um terror de que tenta ficar te assustando com frequência ou com muitos jump scares, mas quem sabe até um horror psicológico, que é uma decisão acertada do diretor. Mas não se engane, ele consegue construir uma atmosfera bem desconfortável digna de um terror tradicional.

anúncios

Também não é tão subjetivo como o primeiro, nesse longa, Flanagan prefere explicar mais como funciona o paranormal ao invés de deixar o espectador imaginar. O que é uma coisa que precisava ser feita para explicar toda a mitologia do livro do Stephen King que ficou subjetiva no filme do Kubrick, o que não foi uma tarefa fácil, novamente pontos para o Flanagan.

Os personagens são bem adaptados e realmente parece que carregam a bagagem do filme anterior o que traz um sentido de existir essa continuação.

Mike Flanagan é corajoso em revisitar o filme anterior e consegue reproduzir muito bem os cenários que passaram no ” O iluminado”, anos depois do filme de 1980 o Hotel Overlook e outros flashs parecem muito parecidos com original.

Os efeitos de pós produção na maioria das vezes são bons e deixa o espectador bem imerso, uma vez ou outra poderia utilizar um efeito prático como lentes de contato ou coisa parecida, mas não atrapalha a experiência final.

anúncios

Doutor Sono é um suspense bem feito e uma continuação interessante para o Iluminado, uma ótima pedida para quem gostou do primeiro.

Assista o Trailer:

 

Written by Pedro Rodrigues

TIM e IBRAC premiam pelo décimo ano monografias sobre Defesa da Concorrência

O Futuro do Mercado de Trabalho