Dia da Amizade Brasil-Argentina celebra forte relação entre ambos os países

Foto: Divulgação

Na próxima sexta-feira (30), é comemorado o Dia da Amizade Brasil-Argentina, instituído neste ano pela Lei 13.664/2018, cujo objetivo é “dar forma e visibilidade à importância das relações” entre os países. Para o brasileiro, conhecer a Argentina significa mergulhar na cultura do continente sul americano.

Esses vizinhos, que falam espanhol, possuem território rico em paisagens montanhosas, com cidades onde é possível aproveitar a neve e a rica gastronomia, além de oferecer facilidade de imigração ao Brasil. Por conta dos acordos entre os países que compõem o Mercosul, os brasileiros podem passar até 90 dias na Argentina como turistas, sem a necessidade de visto. Para viver no país, não é necessário vínculo estudantil ou empregatício: ao tirar o Visto de Residência Permanente, deve ser providenciado o documento de identidade argentino, feito com base nos documentos brasileiros, e o CUIL, que funciona no país como o CPF no Brasil.



Outra facilidade está relacionada à moeda. Por lá, o Real é igual a $ 9,84 Peso argentino, enquanto que o Peso custa R$ 0,10. Todos esses fatores se tornam um grande atrativo para quem é do Brasil. Atualmente, segundo o Ministério de Relações Exteriores, mais de 38 mil brasileiros vivem na Argentina.



E os interessados no país seguem aumentando. Prova disso é o grande número de brasileiros que são recebidos nas Universidades do país todo ano. Na Faculdade de Medicina da Universidade Nacional de La Plata, por exemplo, 566 alunos estão matriculados hoje. Para Paulo Silva, diretor da agência de intercâmbios World Study BH, esse número pode ser explicado pelo fato de não ser necessário um processo seletivo para entrar nas Universidades argentinas, que não possuem limite de vagas para diversos cursos, inclusive o de Medicina. “Para se inscrever em um curso, é preciso apresentar o diploma de Ensino Médio, reconhecido nos Ministérios da Educação de ambos os países, e um documento de identidade emitido na Argentina”, explica.

Opção turística

anúncios

A Argentina se tornou ainda uma alternativa bastante procurada por quem tem o sonho de conhecer a neve. Enquanto Buenos Aires, segunda maior área metropolitana do continente – ficando atrás apenas de São Paulo – oferece dinamismo e agitação, Bariloche, que se encontra a 1.500 quilômetros da capital do país, reuniu 42 mil brasileiros no último inverno.

+Outback em BH? Descubra uma unidade perto de você

+Filarmônica de Minas Gerais recebe Evelyn Glennie

Com paisagens que contam com lagos e montanhas de picos nevados, a cidade é considerada pioneira na prática de esportes de inverno no Hemisfério Sul, como esqui e snowboard. Estando hospedado em seus chalés, é possível experimentar a gastronomia germano-austríaca, tradição de seus fundadores europeus, praticar rapel e escalada nas montanhas e fazer trilhas nos parques florestais. Bariloche também conta com uma tradição de terra do chocolate e fondue e a vida noturna é agitada com os diversos pubs e boates do local.

Fazer intercâmbio na Argentina significa, portanto, aprender além do idioma espanhol, que abre portas mundo afora. “As escolas de idiomas desse país são conhecidas por ensinar também sobre sua cultura. Para enriquecer ainda mais essa experiência, na World Study, é possível aproveitar a estadia na Argentina contando com profissionais 24 horas por dia, auxiliando em todos os momentos”, afirma Paulo Sllva. A agência de intercâmbios oferece programas de curso de idiomas e ensino médio no país para Buenos Aires, Bariloche, Patagônia, Uhuaia, Córdoba e Mendonza.

 



Por Redacao

.

Exposição Sombras e Mistérios de Mac Adams permanece até dezembro na Capital

Minas Shopping oferece programação intensa até o Natal