CURSO DE CINEMA GRATUITO E ONLINE ESTÁ COM AS INSCRIÇÕES ABERTAS

O segundo módulo do curso A Imagem como Potência acontece no mês de dezembro e busca promover a aproximação de jovens com o audiovisual

Estão abertas as inscrições para o módulo Debates necessários do curso de formação A imagem como potência, ministrado pelo professor e pesquisador Cícero Pedro Leão, que acontecerá de forma online, em função da pandemia da Covid-19. As aulas são voltadas para jovens a partir de 15 anos de idade e realizadas nos sábados dias 5, 12 e 19 de dezembro, das 14h às 16h30, e na quarta-feira, dia 9 de dezembro, das 19h às 21h30. A atividade é gratuita e os interessados podem se inscrever por aqui ou pelo telefone de contato (31) 98238-5352 até o dia 4 de dezembro.

Realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte, o módulo Debates Necessários propõe pensar a história do cinema por um olhar crítico. As duas primeiras aulas serão focadas no cinema mudo, apresentando cineastas negros, como Oscar Micheaux, e mulheres, como Lois Weber e Dorothy Davenport, que foram apagados da história canônica do cinema, mas que vêm ganhando visibilidade recentemente.

As duas últimas aulas serão dedicadas ao melodrama, desde o período clássico até desconstruções modernas e contemporâneas. Segundo Cícero Pedro Leão, é importante entender essas transformações. “Por muito tempo o melodrama não foi tão valorizado, principalmente quando comparamos com os debates sobre movimentos de vanguarda. Mas o melodrama cinematográfico é algo complexo, com várias nuances e estilos, e que joga luz sobre questões sociais, seja pela denúncia ou pela repetição, dentro do próprio melodrama, de convenções patriarcais”, explica.

anúncios

Obras de autoras, como Silvia Oroz, E. Ann Kaplan e Laura Mulvey, serão estudadas para debater os estereótipos mais comuns nos filmes com essa estrutura dramática. Em seguida, apresentaremos abordagens mais autorais do melodrama, analisando cineastas como Fassbinder, Pedro Almodóvar, Ninagawa Mika, Monique Gardenberg, Pedro Diógenes, Guto Parente e outros.

A imagem como potência

O curso, que teve início em março de forma presencial no Centro Cultural Vila Fátima, mas foi interrompido devido à pandemia da Covid-19, tem como proposta levar informação sobre história, linguagem e crítica cinematográfica para os alunos. Nesta nova etapa, os encontros serão realizados de forma online e com tradução em libras.

Dividido em quatro módulos, o curso apresenta e debate o universo cinematográfico de maneira social e inventiva, realizando um movimento de escuta e co-criação em um encontro de saberes da experiência. Segundo o professor Cícero Pedro Leão, o foco do curso será o diálogo, buscando ouvir e registrar as impressões e comentários dos jovens que muitas vezes estão distantes dos debates críticos e cinematográficos. “Acreditamos que as vivências dos alunos podem fornecer uma espécie de crítica cinematográfica única, seja ela oral ou escrita, que somente eles podem desenvolver, uma vez que esses jovens têm uma experiência própria que precisa ser destacada”, comenta.

Assim, o percurso se dará de duas formas: a primeira, buscando fornecer ferramentas analíticas e históricas para os alunos pensarem o cinema e a segunda, incentivando que as suas vivências, como jovens e espectadores, também entrem nas suas reflexões críticas. Os comentários, debates e exercícios das aulas serão registrados em um portal online construído para o próprio curso e que será alimentado por professores e alunos

Por Redacao

.

Casa&Video inova em ações para a Black Friday

Grupo EPO patrocina exposição “Dual-Do Caos à Essência”