Cruzeiro vai Buenos Aires em busca do sonho do Tricampeonato Continental.

Por Paulo Soares

Belo Horizonte, 07 de março de 2019

 

anúncios

Após uma semana sem jogos oficiais, a equipe celeste inicia sua trajetória na Libertadores nesta quinta-feira, às 19 horas, em Buenos Aires diante do modesto Huracán pelo Grupo B da competição. Os dois times têm Desportivo Lara da Venezuela e Emelec do Equador ao lado na chave. 

Para essa partida o técnico Mano Menezes tem desfalques; o zagueiro Dedé, que recebeu cartão vermelho na última partida do Cruzeiro na Libertadores do ano passado contra o Boca, Murilo deve entrar na vaga. Marquinhos Gabriel ainda se recupera de lesão muscular e também é dúvida para o confronto. Thiago Neves segue no DM tratando a lesão na panturrilha direita. O restante da equipe está à disposição e o treinador deve mandar a campo a equipe considerada titular.

Já o Huracán, vem de derrota no Campeonato Argentino para o Patronato por 1 a 0 no último domingo. A equipe argentina é a sétima colocada na competição nacional e tem como destaque o centroavante Lucas Barrios, ex Grêmio e Palmeiras.

Cruzeiro e Huracán já se enfrentaram duas vezes na história e o time da capital mineira nunca venceu o confronto. Em 2015 foram dois jogos pela fase de grupos da própria Libertadores, com vitória de 3-1 para o time argentino em solo castelhano e um empate sem gols em BH.

 

HURACÁN X CRUZEIRO

 

HURACÁN 

anúncios

Silva; Salcedo, Mancinelli, Chimino e Araújo; Auzqui, Damonte e Rossi; Roa, Gamba e Barrios. Técnico: Antônio Mohamed

CRUZEIRO

Fábio; Edílson, Léo, Murilo e Egídio; Henrique e Lucas Romero; Robinho, Rodriguinho e Rafinha; Fred. Técnico: Mano Menezes

 

anúncios

Motivo: 1ª rodada do Grupo B da Copa Libertadores da América 

Estádio: El Palacio, em Buenos Aires (ARG)

Data e horário: 07 de março de 2019 (quinta-feira), às 19h

 

Árbitro: Diego Haro(PER)

Assistentes: Jonny Bossio(PER)e Jesús Sánchez(PER)

Foto: Divulgação/Cruzeiro

 

Monte Carmo Shopping prepara ressaca de Carnaval

Espetáculo “LEI” apresenta com sutileza a física clássica de Isaac Newton