Como manter uma alimentação saudável e acessível com o disparo dos preços nos supermercados?

Nutricionista dá dicas para escolher opções nutritivas e mais baratos na hora das compras

Com o rompimento das cadeias produtivas durante a pandemia da Covid-19, o aumento dos preços nos supermercados já vinha sendo uma constante no dia a dia. Alido a isso, as crises climática e ambiental marcadas por secas, enchentes, erosões e acidificações dos solos e águas, além da guerra entre países, que impactou na exportação de fertilizantes e no valor dos combustíveis, deixaram o cenário ainda mais preocupante. Alimentos básicos como arroz, feijão, cereais, frutas e verduras tiveram um aumento de até 110% desde janeiro de 2022, batendo um recorde histórico em fevereiro, quando atingiram o valor mais alto em cerca de 100 anos.

Esse cenário abriu margem para uma insegurança alimentar e para o seguinte questionamento: como fazer para manter uma alimentação saudável e acessível ao bolso? De acordo com a coordenadora do curso de Nutrição da Una Linha Verde – instituição da Ânima Educação – Nayara Monteze, a dúvida é de muitos brasileiros e se torna ainda mais profunda ao se pensar que a meta número dois dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU é acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhorar a nutrição até 2030.

“O caminho não é fácil, mas uma estratégia simples que pode ajudar na hora das compras é optar por alimentos da safra. As frutas e verduras da estação são vendidas por um preço melhor e, por serem da estação, recebem menos fertilizantes durante a produção. Outro ponto importante é procurar orientação de nutricionista que elabore um plano alimentar adequado às necessidades nutricionais e que não seja oneroso. Na Una Linha Verde, por exemplo, é possível obter atendimento gratuito na Clínica Integrada de Saúde”, explica.

anúncios

Serviços ao consumidor

Os atendimentos nutricionais gratuitos da Una acontecem no campus Linha Verde (Av. Cristiano Machado, 11.157 – Vila Clóris) de terça a sexta-feira, de 14 às 18 horas, mediante marcação de consulta. O interessado pode agendar o serviço pelo telefone 31 99489-2058. “Promovemos também oficinas gastronômicas de reaproveitamento de alimentos e substituição de ingredientes para o dia a dia, uma ótima oportunidade para esse momento difícil para o consumidor”, diz a professora.

Confira os alimentos da estação

 Primavera: Frutas: Abacaxi, acerola, banana-nanica, banana-prata, caju, coco-verde, mamão, manga, melancia, melão, pêssego, ameixa, melancia, melão. Legumes: Aspargo, berinjela, beterraba, cenoura, maxixe, nabo, pepino, pimentão, tomate. Verduras: Alho-poró, brócolis, cebolinha, endívia, erva-doce, espinafre. Pescados: Bagre, Bonito, corvina, dourado, espada, manjuba.

– Verão: Frutas: Abacate, ameixa, carambola, figo, pinha (conhecida em algumas regiões por fruta-do-conde), goiaba, jaca, maçã, pera. Legumes: Abóbora, gengibre, milho-verde, pepino, pimentão, quiabo, tomate. Verduras: Cebolinha, escarola, hortelã, louro, repolho. Pescados: Atum, bacalhau, badejo, bonito, cação, manjuba, merluza, sardinha.

– Outono: Frutas: abacate, banana-maçã, caqui, jaca, kiwi, maçã, pera. Legumes: Abóbora, abobrinha, berinjela, beterraba, cará, chuchu, gengibre, inhame. Verduras: Alface, alho-poró, almeirão, catalonha, escarola (chicória), repolho. Pescados: Bagre, bonito, cação, cavalinha, corvina, linguado, merluza, tainha.

– Inverno: Frutas: carambola, kiwi, laranja-lima, tangerina (ou mexerica). Legumes: Batata-doce, berinjela, cenoura, ervilha, inhame, mandioca (aipim ou macaxeira), mandioquinha, milho-verde. Safra natural de verduras: Agrião, alho-poró, almeirão, brócolis, erva-doce. Pescados: Atum, badejo, camarão, caranguejo, lambari, porquinho, sardinha, siri, tainha.

Por Redacao

.

Exposição “Nise da Silveira – A Revolução pelo Afeto”, fica em cartaz no CCBB-BH até 28 de março

Estados Unidos facilita a solicitação de vistos para motoristas de caminhão