CASA FIAT DE CULTURA CONVIDA ORQUESTRA DE CÂMARA SESIMINAS PARA O PROGRAMA MÚSICA NA CAPELA

Foto: Divulgação

A Casa Fiat de Cultura apresenta, no dia 26 de maio, às 11h, a Orquestra de Câmara SESIMINAS no programa Música na Capela. Sob regência do maestro Marco Antonio Maia Drumond, a orquestra traz um programa eclético, que contempla estilos de diferentes épocas. O concerto será realizado na Capela de Santana, localizada nos jardins da Casa Fiat de Cultura. A entrada é gratuita, com espaço sujeito a lotação (80 lugares).

A apresentação será aberta com o clássico chorinho Odeon, de Ernesto Nazareth, numa adaptação de Eliseu Barros. Na sequência, um desfile pelo repertório de épocas distintas: primeiramente, Divertimento em Ré Maior, de Mozart; depois, uma peça barroca, Suíte nº 3, de Bach; em seguida, o romantismo da Sonatenzatz, de J. Brahms, num magistral trabalho de orquestração de William Barros. O repertório erudito é finalizado com a Bachiana Brasileira nº 5, de Villa-Lobos.

O segundo momento do concerto vai contemplar obras de cunho popular do cancioneiro brasileiro e internacional: Jazz Standing, de Duke Ellington; Suíte, de Chico Buarque; La Muerte del Angel; de Astor Piazzolla. Também será interpretada uma compilação de duas canções da banda mineira Skank, Dois Rios e Vou deixar, seguida de A Pantera cor-de-rosa, de E. Mancini. O conhecido chorinho de Zequinha de Abreu, Tico-tico no fubá, encerra a apresentação.

Desde 2015, o Música na Capela busca ampliar a formação musical do público, ao oferecer apresentações de experientes corais e grupos de câmara, com repertório diversificado e acesso gratuito. O programa é uma realização da Casa Fiat de Cultura e do Ministério da Cidadania, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com o patrocínio da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Fiat Chrysler Finanças e do Banco Safra, e conta com apoio institucional do Circuito Liberdade, do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha), do Governo de Minas e do Governo Federal.

anúncios

Maestro Marco Antonio Maia Drumond, regente

Nascido em Belo Horizonte, Marco Antonio Maia Drumond começou a estudar música, aos cinco anos de idade, com a educadora Célia Flores Nava. Em 1960, ingressou no curso fundamental de violino da Universidade Mineira de Arte – hoje, Escola de Música da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) –, onde frequentou a classe do professor Gabor Buza. Em 1974, foi admitido no curso de graduação em Regência da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), estudando sob a orientação do maestro Arthur Bosmans. Paralelamente, continuou o curso de violino com seu antigo professor.

Em 1981, obteve bolsa do governo polonês e seguiu para Varsóvia, onde realizou curso de pós-graduação em regência sinfônica e operística na Academia de Música Frederyk Chopin, estudando sob a orientação do maestro Henryk Czyz. Em 1983, em Weimar, frequentou curso de regência sinfônica com o maestro Kurt Mazur. De volta ao Brasil, assumiu, em 1986, a direção artística do Madrigal Renascentista e a regência da Orquestra de Câmara Sesiminas, da qual é maestro até os dias hoje. Retornou à Polônia em duas oportunidades para dirigir orquestras como as Filarmônicas de Walbrzych (1986) e de Szczeczyn (1992).

Orquestra de Câmara SESIMINAS
Com 33 anos de existência, a Orquestra de Câmara SESIMINAS foi fundada pelo Dr. Nansen Araújo, que foi presidente da FIEMG. Com o objetivo maior de garantir o acesso ao repertório camerístico de qualidade ao trabalhador da indústria mineira e seus dependentes, a Orquestra já conta com mais de 1.100 concertos realizados em locais que vão de pátios de fábricas, passando por hospitais e escolas, além das melhores salas de concertos da capital e de todo o estado de Minas Gerais.
Em sua trajetória, a Orquestra de Câmara SESIMINAS pôde atuar junto a solistas renomados como Nelson Freire, Antonio Meneses, Arthur Moreira Lima, João Carlos Martins, o violoncelista Antônio Meneses e o Duo Assad. No campo da música popular, artistas como Milton Nascimento, Vander Lee, Maria Gadu, Diogo Nogueira, e grupos como Skank e Jota Quest também puderam integrar sua rica programação.

Casa Fiat de Cultura

A Casa Fiat de Cultura cumpre importante papel na transformação do cenário cultural brasileiro, ao realizar as mais prestigiadas exposições. A programação estimula a reflexão e interação do público com várias linguagens e movimentos artísticos, desde a arte clássica até a arte digital e contemporânea. Por meio do Programa Educativo, a instituição articula ações para ampliar a acessibilidade às exposições, desenvolvendo réplicas de obras de arte em 3D, materiais em braile e atendimento em libras. Atualmente, 50 mostras de consagrados artistas brasileiros e internacionais, já foram expostas na Casa Fiat de Cultura, entre os quais Caravaggio, Rodin, Chagall, Tarsila, Portinari entre outros. Há 13 anos, o espaço apresenta uma programação diversificada, com música, palestras, residência artística, além do Ateliê Aberto – espaço de experimentação artística – e de programas de visitas com abordagem voltada para a valorização do patrimônio cultural e artístico. A Casa Fiat de Cultura é situada no histórico edifício do Palácio dos Despachos e apresenta, em caráter permanente, o painel de Portinari, Civilização Mineira, de 1959. O espaço integra um dos mais expressivos corredores culturais do país, o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte. Mais de 2,5 milhões de pessoas já visitaram suas exposições e 400 mil participaram de suas atividades educativas.

Serviço

Música na Capela de Santana da Casa Fiat de Cultura com Orquestra de Câmara SESIMINAS
Praça da Liberdade, 10
26 de maio de 2019, domingo, das 11h às 12h
Entrada gratuita

anúncios

Programa

– E. Nazareth – Odeon – Arranjo – Eliseu Barros
– W. A. Mozart – Divertimento em Ré Maior
– J. S. Bach – Aria da Suíte nº 3
– J. Brahms – Sonatenzatz – Orquestração de William Barros
– H. Villa- Lobos – Bachiana Brasileira nº 5
– Duke Ellington – Jazz Standing – Arranjo de Eliseu Barros
– Chico Buarque – Suíte – Arranjo – Marcelo Ramos
– A. Piazzolla – La muerte del angel
– Skank – Medley – Arranjo Mauro Rodrigues
– E. Mancini – A Pantera cor-de-rosa
– Zequinha de Abreu – Tico-tico no fubá

Casa Fiat de Cultura
Circuito Liberdade
Praça da Liberdade, 10 – Funcionários – BH/MG
Horário de funcionamento: Terça a sexta, das 10h às 21h – Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

A Casa Fiat de Cultura apresenta, no dia 26 de maio, às 11h, a Orquestra de Câmara SESIMINAS no programa Música na Capela. Sob regência do maestro Marco Antonio Maia Drumond, a orquestra traz um programa eclético, que contempla estilos de diferentes épocas. O concerto será realizado na Capela de Santana, localizada nos jardins da Casa Fiat de Cultura. A entrada é gratuita, com espaço sujeito a lotação (80 lugares).

anúncios

A apresentação será aberta com o clássico chorinho Odeon, de Ernesto Nazareth, numa adaptação de Eliseu Barros. Na sequência, um desfile pelo repertório de épocas distintas: primeiramente, Divertimento em Ré Maior, de Mozart; depois, uma peça barroca, Suíte nº 3, de Bach; em seguida, o romantismo da Sonatenzatz, de J. Brahms, num magistral trabalho de orquestração de William Barros. O repertório erudito é finalizado com a Bachiana Brasileira nº 5, de Villa-Lobos.

O segundo momento do concerto vai contemplar obras de cunho popular do cancioneiro brasileiro e internacional: Jazz Standing, de Duke Ellington; Suíte, de Chico Buarque; La Muerte del Angel; de Astor Piazzolla. Também será interpretada uma compilação de duas canções da banda mineira Skank, Dois Rios e Vou deixar, seguida de A Pantera cor-de-rosa, de E. Mancini. O conhecido chorinho de Zequinha de Abreu, Tico-tico no fubá, encerra a apresentação.

Desde 2015, o Música na Capela busca ampliar a formação musical do público, ao oferecer apresentações de experientes corais e grupos de câmara, com repertório diversificado e acesso gratuito. O programa é uma realização da Casa Fiat de Cultura e do Ministério da Cidadania, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com o patrocínio da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Fiat Chrysler Finanças e do Banco Safra, e conta com apoio institucional do Circuito Liberdade, do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha), do Governo de Minas e do Governo Federal.

Maestro Marco Antonio Maia Drumond, regente

Nascido em Belo Horizonte, Marco Antonio Maia Drumond começou a estudar música, aos cinco anos de idade, com a educadora Célia Flores Nava. Em 1960, ingressou no curso fundamental de violino da Universidade Mineira de Arte – hoje, Escola de Música da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) –, onde frequentou a classe do professor Gabor Buza. Em 1974, foi admitido no curso de graduação em Regência da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), estudando sob a orientação do maestro Arthur Bosmans. Paralelamente, continuou o curso de violino com seu antigo professor.

Em 1981, obteve bolsa do governo polonês e seguiu para Varsóvia, onde realizou curso de pós-graduação em regência sinfônica e operística na Academia de Música Frederyk Chopin, estudando sob a orientação do maestro Henryk Czyz. Em 1983, em Weimar, frequentou curso de regência sinfônica com o maestro Kurt Mazur. De volta ao Brasil, assumiu, em 1986, a direção artística do Madrigal Renascentista e a regência da Orquestra de Câmara Sesiminas, da qual é maestro até os dias hoje. Retornou à Polônia em duas oportunidades para dirigir orquestras como as Filarmônicas de Walbrzych (1986) e de Szczeczyn (1992).

Orquestra de Câmara SESIMINAS
Com 33 anos de existência, a Orquestra de Câmara SESIMINAS foi fundada pelo Dr. Nansen Araújo, que foi presidente da FIEMG. Com o objetivo maior de garantir o acesso ao repertório camerístico de qualidade ao trabalhador da indústria mineira e seus dependentes, a Orquestra já conta com mais de 1.100 concertos realizados em locais que vão de pátios de fábricas, passando por hospitais e escolas, além das melhores salas de concertos da capital e de todo o estado de Minas Gerais.
Em sua trajetória, a Orquestra de Câmara SESIMINAS pôde atuar junto a solistas renomados como Nelson Freire, Antonio Meneses, Arthur Moreira Lima, João Carlos Martins, o violoncelista Antônio Meneses e o Duo Assad. No campo da música popular, artistas como Milton Nascimento, Vander Lee, Maria Gadu, Diogo Nogueira, e grupos como Skank e Jota Quest também puderam integrar sua rica programação.

Casa Fiat de Cultura

A Casa Fiat de Cultura cumpre importante papel na transformação do cenário cultural brasileiro, ao realizar as mais prestigiadas exposições. A programação estimula a reflexão e interação do público com várias linguagens e movimentos artísticos, desde a arte clássica até a arte digital e contemporânea. Por meio do Programa Educativo, a instituição articula ações para ampliar a acessibilidade às exposições, desenvolvendo réplicas de obras de arte em 3D, materiais em braile e atendimento em libras. Atualmente, 50 mostras de consagrados artistas brasileiros e internacionais, já foram expostas na Casa Fiat de Cultura, entre os quais Caravaggio, Rodin, Chagall, Tarsila, Portinari entre outros. Há 13 anos, o espaço apresenta uma programação diversificada, com música, palestras, residência artística, além do Ateliê Aberto – espaço de experimentação artística – e de programas de visitas com abordagem voltada para a valorização do patrimônio cultural e artístico. A Casa Fiat de Cultura é situada no histórico edifício do Palácio dos Despachos e apresenta, em caráter permanente, o painel de Portinari, Civilização Mineira, de 1959. O espaço integra um dos mais expressivos corredores culturais do país, o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte. Mais de 2,5 milhões de pessoas já visitaram suas exposições e 400 mil participaram de suas atividades educativas.

Serviço

Música na Capela de Santana da Casa Fiat de Cultura com Orquestra de Câmara SESIMINAS
Praça da Liberdade, 10
26 de maio de 2019, domingo, das 11h às 12h
Entrada gratuita

Programa

– E. Nazareth – Odeon – Arranjo – Eliseu Barros
– W. A. Mozart – Divertimento em Ré Maior
– J. S. Bach – Aria da Suíte nº 3
– J. Brahms – Sonatenzatz – Orquestração de William Barros
– H. Villa- Lobos – Bachiana Brasileira nº 5
– Duke Ellington – Jazz Standing – Arranjo de Eliseu Barros
– Chico Buarque – Suíte – Arranjo – Marcelo Ramos
– A. Piazzolla – La muerte del angel
– Skank – Medley – Arranjo Mauro Rodrigues
– E. Mancini – A Pantera cor-de-rosa
– Zequinha de Abreu – Tico-tico no fubá

Casa Fiat de Cultura
Circuito Liberdade
Praça da Liberdade, 10 – Funcionários – BH/MG
Horário de funcionamento: Terça a sexta, das 10h às 21h – Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

Written by Redacao

.

Verdemar leva vinhos especiais para 9ª Festa Portuguesa, evento gratuito que será realizado dia 8 de junho, em Belo Horizonte

Academia do skate completa dois anos com mais uma temporada gratuita no Shopping Estação BH