Belo Horizonte é a primeira cidade a receber Circuito Meta do CineSolar, cinema movido a energia solar com sessões gratuitas

Com patrocínio da Meta, o projeto exibe curtas-metragens brasileiros nos dias 24 e 25 de junho

A magia do cinema movido a energia solar é a proposta do CineSolar, que chega nesta semana, pela primeira vez, na cidade de Belo Horizonte, com atividades culturais para a população. Com patrocínio da Meta e apoio da Prefeitura Municipal e da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, na sexta-feira (24/06), no Centro Cultural Vila Marçola, e sábado (25/06), no Centro Cultural Alto Vera Cruz, serão exibidos curtas-metragens brasileiros, os filmes ‘Cine Holliúdy 2 – A Chibata Sideral’ e ‘O Auto da Compadecida’, respectivamente, além de um curta especial produzido durante uma oficina com temática socioambiental pelos alunos da Escola Municipal Senador Levindo Coelho. A capital de Minas Gerais é a primeira cidade a receber o Circuito Meta, que até o final do ano vai realizar 94 sessões, em 40 municípios de 12 estados brasileiros.

 

Nas sessões, que têm entrada gratuita e distribuição de pipoca, o público pode conhecer a estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz, instalada no próprio veículo que carrega todo o cinema e que tem muitas atrações para toda a família.

anúncios

O CineSolar é o primeiro cinema itinerante do Brasil movido a energia limpa e renovável: a energia solar. Funciona através de duas vans, batizadas de Tupã e Mahura, que foram grafitadas e adaptadas com as placas fotovoltaicas e o sistema de conversão de energia e armazenamento, com 20 horas de autonomia. Cada sprinter também carrega 110 cadeiras e banquetas para o público e todo o sistema de som e projeção para o cinema.

Além de tudo isso, o espaço se transforma em uma sala de aula onde o público é convidado a entender, de maneira descontraída e divertida, como a luz do sol se transforma em energia elétrica. Os infográficos, a iluminação e a decoração especial – feita com materiais reciclados e objetos com princípios de magnetismo e eletricidade como laser e bola de plasma – são uma atração à parte, que encanta pessoas de todas as idades.

“O tema da energia solar ainda é novo e gera muita curiosidade. Na visita, todos podem ver o caminho que a luz do sol percorre, desde as placas instaladas no teto da van, os cabos, as baterias, o controlador e o inversor de carga, fica tudo acessível e as crianças adoram”, diz Cynthia Alario, coordenadora e idealizadora do CineSolar.

 

O projeto viaja por várias regiões do país para realizar sessões gratuitas de cinema, com o objetivo de democratizar o acesso às produções audiovisuais (principalmente nacionais), promover ações e práticas sustentáveis, a inclusão social, difundir a tecnologia da geração de energia fotovoltaica e levar alegria com a temática socioambiental a todas as pessoas.

A 6ª Edição do CineSolar é viabilizada pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Meta e apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte e da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, e é realizada pela Brazucah Produções e Governo Federal, por meio do Ministério do Turismo.

 

Oficinema

anúncios

Além das sessões de cinema, o CineSolar realiza diversas oficinas que integram arte, tecnologia e sustentabilidade, e difundem práticas sustentáveis para o dia a dia, desde a separação dos lixos à reutilização de materiais recicláveis. Pelo Circuito Meta serão 27 oficinas. Na cidade de Belo Horizonte, o projeto contempla a Oficinema Solar, que utiliza a linguagem audiovisual e jogos cooperativos, com crianças e jovens estudantes da rede pública.

 

No encontro são abordados temas da permacultura, agroecologia, bioconstrução e a Carta da Terra, além dos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) propostos pela ONU (Organização das Nações Unidas). Todas as ações são gravadas, um filme é produzido com os participantes, editado no mesmo dia pela equipe do CineSolar e tem sua “estreia mundial” durante a sessão de cinema à noite para a comunidade local.

 

anúncios

“As oficinas são atividades complementares, com uma linguagem muito simples e didática que dialoga de forma lúdica com as crianças e jovens da região. Com ações em conjunto com a Unesco Representação Brasil, o projeto CineSolar ajuda o planeta cumprindo 10 dos 17 ODS e colocando o público ainda mais em contato com os temas de sustentabilidade e energia renovável, além de arte e cultura”, destaca Cynthia Alario.

 

PROGRAMAÇÃO: BELO HORIZONTE

Centro Cultural Vila Marçola

Oficinema Solar

Para alunos da Escola Municipal Senador Levindo Coelho

Data: sexta-feira (24/06) – das 13h30 às 15h30

Local: Rua Caraça, 910 – Serra

Sessão Cinema

Data: sexta-feira (24/06)

Horários: 18h – Sessão curtas-metragens

19h – ‘Cine Holliúdy 2 – A Chibata Sideral’

Entrada: gratuita

Atrações: pipoca e estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz

Local: Centro Cultural Vila Marçola – Rua Mangabeira da Serra, 320 – Vila Marçola – Belo Horizonte/MG

Centro Cultural Alto Vera Cruz

Sessão Cinema

Data: sábado (25/06)

Horários: 18h – Sessão curtas-metragens

19h – ‘O Auto da Compadecida’

Entrada: gratuita

Atrações: pipoca e estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz

Local: Praça Padre Marcelo (Praça do Posto) – Rua Desembargador Bráulio, 1012 – Alto Vera Cruz – Belo Horizonte/MG

Local em caso de chuva: Quadra coberta da Escola Municipal Israel Pinheiro – Rua Desembargador Bráulio, 1147 – Alto Vera Cruz

 

Crianças e adolescentes de Belo Horizonte vão participar da Oficinema Solar, com temática socioambiental e ainda produzir um curta-metragem que será exibido na sessão à noite. Fotos: Divulgação/CineSolar

 

O Cinesolar carrega as cadeiras para o público, sistemas de som e projeção, telão e uma cabine de DJ. Na sessão, o público pode conhecer a estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz, instalada no próprio veículo, que tem muitas atrações para toda a família. Fotos: Divulgação/CineSolar

SINOPSES DOS FILMES:

‘As aventuras de Pety’ – Diretora: Anahi Borges – São Paulo – Duração: 14 minutos – Animação/2019 – Livre

O filme tem início quando, no céu de Tutameia, surge um lindo e majestoso arco-íris. Em busca do baú de ouro, Pety e seus amigos partem em direção ao bosque da cidade, onde vivem aventuras com seres fantásticos do folclore brasileiro e descobrem que o verdadeiro tesouro pode estar muito mais próximo do que se imagina.

 

‘O Gigante’ – Direção: Júlio Vanzeler & Luis da Matta Almeida – Portugal, 10 min, Animação. Livre

“De todas as histórias que meu pai me contou, a que nunca esqueci foi a do rei que sempre carregou uma princesa dentro de seu coração …”

 

‘Plantae’ – Direção: Guilherme Gehr – Brasil, 10´25, Animação. Livre

Ao cortar uma grande árvore no interior da floresta, um madeireiro contempla uma inesperada reação da natureza. Uma reflexão sobre as consequências irreversíveis do desmatamento e da subjugação lamentável dos humanos aos demais seres da Terra.

‘De Onde Vêm os Dragões?’ – Direção: Grace Luzzi – São Paulo – Duração: 10 minutos – Animação/2020 – Livre

O amor de uma mãe é testado pela força, exigências físicas e emocionais de uma criança recém-nascida. Quando um dragão desperta, um plano de apoio é necessário…

 

‘Os Segredos do Rio Grande’ – Direção: Analúcia Godoi – Espírito Santo – Duração: 5 minutos – Animação/2017 – Livre

Com suas águas cristalinas, o Rio Grande nos traz segredos, belezas e também benefícios. É preciso mantê-lo limpo, sem lixo, cuidar das nascentes e preservar as matas ciliares para que toda essa riqueza se mantenha por muitos mais anos.

 

‘Cine Holliúdy 2: A Chibata Sideral’ – Direção: Halder Gomes – Brasil – Duração: 100 min – comédia /2019 – Classificação indicativa: 12 anos

A popularização da TV obriga Francisgleydisson a fechar seu adorado Cine Holliúdy e ir morar na casa da sogra, ao lado da esposa Maria das Graças e do filho Francin. Após passar por uma experiência alienígena, na qual um amigo foi abduzido, ele tem a ideia de rodar um longa-metragem de ficção científica onde Lampião enfrenta os seres extra-terrestres. Para tanto, consegue o apoio do prefeito Olegário e de sua esposa Justina, candidata às próximas eleições.

‘O Auto da Compadecida’ – Direção: Guel Arraes – Brasil – Duração: 104 min – comédia /2000 – Classificação indicativa: 12 anos

As aventuras de João Grilo (Matheus Nachtergaele), um sertanejo pobre e mentiroso, e Chicó (Selton Mello), o mais covarde dos homens. Ambos lutam pelo pão de cada dia e atravessam por vários episódios enganando a todos da pequena cidade em que vivem.

Sobre o CineSolar:

O CineSolar é o primeiro cinema itinerante do Brasil movido a energia limpa e renovável: a energia solar. Desde julho de 2013, o projeto já realizou mais de 1300 sessões com exibição de mais de 150 filmes, entre curtas-metragens (de temática socioambiental) e longas, em 476 cidades do país, percorrendo mais de 250 mil quilômetros e chegando a mais de 200 mil pessoas. Além disso, foram gerados mais de 3 milhões de watts (equivalente a um ano e três meses de uma geladeira ligada) e ministradas cerca de 400 oficinemas, que proporcionam acesso às técnicas básicas e aos elementos que compõem a linguagem cinematográfica.

O CineSolar integra a Solar World Cinema, uma rede internacional de cinemas itinerantes movidos a energia solar, com a participação de vários países como Holanda, África do Sul, Nepal, Chile, Croácia e Austrália, entre outros.

O CineSolar conta com o patrocínio institucional da Mercedes-Benz – Cars & Vans Brasil, patrocínio solar da Sices Solar e da Clarios – com a bateria Heliar e a Freedom Estacionária, e apoio das marcas Biowash, Cicloway e Bio 2. O projeto também realiza compensação de carbono em parceria com a Ecooar (cerca de 300 árvores já foram plantadas em área de manancial) e promove ações em conjunto com a Unesco Representação Brasil e a Unipaz (Universidade Internacional da Paz).

 

Sobre a Meta:

A Meta constrói tecnologias que ajudam as pessoas a se conectar, encontrar comunidades e crescer empresas. Quando o Facebook foi lançado em 2004, ele mudou a forma como as pessoas se conectam. Aplicativos como o Messenger, Instagram e WhatsApp ajudaram ainda mais a empoderar bilhões de pessoas em todo o mundo. Agora, a Meta está se movendo além das telas 2D, em direção a experiências imersivas como a realidade aumentada e a realidade virtual para ajudar a construir a próxima evolução da tecnologia social.

Por Redacao

.

Grupo Galpão está de volta aos palcos e celebra 40 anos em 2022

Assaí chega a Betim com a inauguração de sua 4ª unidade em Minas Gerais