BDMG Cultural realiza a finalíssima do 21º Prêmio BDMG Instrumental

Nos próximos dias 27, 28 e 29 de maio, o BDMG Cultural realiza a etapa final do 21º Prêmio BDMG Instrumental, que chega a sua maioridade e completa 21 anos de fomento à cena da música instrumental mineira e brasileira. As apresentações dos 12 instrumentistas selecionados serão realizadas no Teatro Sesiminas, em Belo Horizonte, com entrada gratuita.

Na primeira etapa do prêmio, que ocorreu em abril, na sede do BDMG Cultural, os 12 músicos finalistas foram selecionados por uma comissão formada pela violonista Cláudia Garcia, pelo artista sonoro Marco Scarassatti e pelo músico Thiago Delegado. São eles Daniel Souza (guitarra), Duo Rodrigo Mendonça e Flávio Danza (flauta transversal e violão 7 cordas), Ezequiel Piaz (violão 7 cordas), Jaiminho Silva (piano), Lucas Ladeia (cavaquinho), Makely Ka (violão), Nara Pinheiro (flauta transversal), Samy Erick (guitarra e violão), Silas Prado (saxofone e flauta), Ulisses Luciano (trompete), Wallace Gomes (violão) e Wellington Gama (bandolim). Durante os dias 27, 28 e 29, cada instrumentista irá apresentar ao público e também para os jurados, duas composições autorais e um arranjo, como de praxe na história da premiação.

anúncios

A comissão julgadora da etapa final é formada por Badi Assad, violonista, compositora e arranjadora; Daniel Barbosa, jornalista do Estado de Minas; Deborah Levy, pianista, compositora e arranjadora; Fabiano Fonseca, jornalista do O Tempo; Gê Côrtes, baixista, compositora e arranjadora; Joatan Nascimento, trompetista, compositor e arranjador; Laura Lopes, Programadora de música do SESC Vila Mariana e Renata Celano, Programadora de música do SESC Consolação.

O prêmio vai contemplar quatro vencedores com uma premiação no valor de R$ 12 mil cada, um show, que será realizado posteriormente no teatro do Centro Cultural Banco do Brasil, o CCBB-BH, além de uma apresentação no programa Instrumental Sesc Brasil, promovido em parceria com o Sesc São Paulo. Também serão escolhidos, como nas edições anteriores da premiação, os dois melhores instrumentistas e melhor arranjo.

Vencedor do Prêmio Marco Antônio Araújo, com álbum homônimo, o Jamba Trio fará um pocket show encerrando a última noite de apresentações, no dia 29 de maio, enquanto ocorre a deliberação do júri do 21º Prêmio BDMG Instrumental.

Prêmio Marco Antônio Araújo

Lançado em março de 2021, o álbum “Jamba Trio” é composto por composições originais que representam o diálogo entre a música instrumental mineira, o jazz e a música erudita. Na estrada há 22 anos, o Jamba Trio é formado originalmente por Írio Junior, Enéias Xavier e Esdra Neném Ferreira. Atualmente, o grupo conta com o baterista Lincoln Cheib. O trabalho homenageia o baterista Esdra Neném Ferreira.

O 21º Prêmio BDMG Instrumental e o Prêmio Marco Antônio Araújo são realizados pelo BDMG Cultural, com apoio do Ministério do Turismo, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio do BDMG – Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais.

 

Sobre o Prêmio BDMG Instrumental – www.bdmgcultural.mg.gov.br/agenda/

anúncios

O Prêmio BDMG Instrumental completa, neste ano, 21 anos de atividades. Desde a sua primeira edição, vem se consolidando a cada ano, sendo reconhecido como um dos principais e mais importantes prêmios e incentivos à música instrumental brasileira. Voltado para artistas que moram em Minas Gerais, revelou, ao longo  desses anos de existência, instrumentistas, conjuntos, compositores e compositoras de destaque nacional e internacional, destacando as inovações em termos de arranjo e composição, que renovam a linguagem da música instrumental brasileira. Em 2022 não será diferente. O júri formado por Cláudia Garcia, Thiago Delegado e Marco Scarassatti, assumiu o desafio de escolher os 12 finalistas dentro de um vasto universo de sonoridades advindas de experiências, práticas e formações distintas, mas igualmente ricas que apontam para a potência e a complexidade da música instrumental brasileira.

Nesta edição, 36 compositores tiveram suas inscrições habilitadas, tornando o trabalho dos curadores muito complexo. Entre os trabalhos analisados estão desde choros e experimentações eletrônicas, passando pelo canto da viola caipira e também pela  complexidade das harmonias mineiras. A função do prêmio BDMG Instrrumental é destacar justamente todo o pluralismo da produção musical produzida em Minas Gerais. Por este motivo, reúne desde jovens a experientes instrumentistas em performances de alto nível e técnicas apuradas de execução. Agora o público tem a oportunidade de conhecer os 12 trabalhos finalistas desta edição durante a grande final, que selecionará os quatro vencedores desta edição.

Prêmio 21º BDMG Instrumental: 12 finalistas

Fotos: http://bit.ly/finalistasBDMGInstrumental

anúncios

Prêmio Marco Antônio Araújo: Álbum “Jamba Trio”, do Jamba Trio
Fotos: https://bit.ly/pmaa2022

Serviço
Grande final do 21º Prêmio BDMG Instrumental
Datas: 27, 28 e 29 de maio
Local: Teatro Sesiminas (Rua Padre Marinho, 60 – Santa Efigênia)
Entrada gratuita(mediante retirada de ingressos disponíveis)

Programação completa

27 de maio (sexta), a partir das 20h
Silas Prado | saxofone e flauta
Daniel Souza | guitarra
Jaiminho Silva | piano
Wallace Gomes | violão
Lucas Ladeia | bandolim
Samy Erick | violão e guitarra

28 de maio (sábado), a partir das 19h
Ulisses Luciano | trompete
Makely Ka | violão
Duo Flávio Danza e Rodrigo Mendonça | flauta transversal e violão 7 cordas
Ezequiel Piaz | violão 7 cordas
Wellington Gama | bandolim
Nara Pinheiro | flauta transversal


29 de maio (domingo), a partir das 18h
Apresentação dos finalistas
Entrega do Prêmio Marco Antônio Araújo para Jamba Trio
Entrega do Prêmio Flávio Henrique para Pablo Bertola
Pocket show do Jamba Trio, vencedor do Prêmio Marco Antônio Araújo 2022, com o álbum Jamba Trio

Por Redacao

.

Senac em Betim oferece palestra gratuita sobre Empreendedorismo em Mídias Sociais

O que você precisa saber sobre congelamento de óvulos, a técnica revolucionária da medicina reprodutiva